Cefas Carvalho

08/05/2019
 
Eis que ecebo release sobre a realização de Roda de Conversa sobre famílias afetadas pelo Zika Vírus (inclusive a matéria no Portal Potiguar Notícias está aqui: http://www.potiguarnoticias.com.br/noticias/41543/natal-tera-nesta-terca-roda-de-conversa-sobre-familias-afetadas-pelo-zika-virus ) e vendo as fotos, percebo que com as profissionais da saúde e as crianças, somente mães. Nenhum homem/pai presente nas edições anteriores do projeto.
 
Nenhuma surpresa. Recordo que quando explodiu a epidemia de Zika, registrou-se em reportagens que muitos pais abandonavam os filhos nascidos com vírus. 
 
Aí fico pensando se serão esses os mesmos homens que pulam nas redes sociais condenando o aborto e etc e tal. Tipo o ex-amigo cuja amizade virtual desfiz há muito, que esperneava aqui no Feice contra a legalização do aborto, e era a favor da vida e etc etc e que depois descobri que não pagava pensão alimentícia e não via o filho (que morava a três bairros de distância) havia meses.
 
Parece ser algo constante: Nas redes, homens preocupados com o direito sagrado á vida. Na prática, capazes de abandonar filhos e filhas recém-nascidos porque nasceram, por exemplo, com o Zika Vírus.
 
Isso sem falar dos que propõem e pagam abortos quando envolve para eles um bebê indesejado. Enquanto na teoria pregam contra o aborto.
 
Faça o que eu digo, mas, não faça o que eu faço. 
 
Como parece ser uma marca desses cidadãos de bem, bons cristãos, atualmente.