Evandro Borges

09/08/2019
 
A delegação  da marcha das margaridas no RN está de partida
 
Agora no dia 11 de agosto de 2019 está partindo para Brasília a delegação do Rio Grande do Norte para participarem da sexta marcha das margaridas que acontecerá nos dias 13 e 14 do presente mês, articulada  nacionalmente pela Confederação Nacional das Trabalhadores, Agricultores e Agricultoras Familiares – CONTAG com uma série de organizações apoiadoras e no Estado articulada pela Federação dos Trabalhadores, Agricultores e Agricultoras Familiares do Rio Grande do Norte – FETARN.
 
No Rio Grande do Norte esteve à frente da organização e estruturação a jovem sindicalista Gabriela Eva, natural de Pedro Avelino/RN, agricultora e assentada com a família em Riacho do Feijão,  realizou um trabalho árduo, principalmente neste momento de crise e de retirada de direitos dos trabalhadores(as), mesmo assim, a delegação segue com seiscentas mulheres agricultoras e apoiadoras, em doze ônibus conseguidos por diversas origens e fruto de uma robusta mobilização.
 
As mulheres agricultoras estarão representando todas as regiões do Estado, podendo dar relevância ao seguinte: do Seridó seguem quarenta e cinco, da Região do Sertão Central quarenta e oito, da Região do Trairi cinquenta, e uma delegação específica da Região de Mossoró e Baraúna com a força de Graça e Risolene apoiadas pelos Sindicatos locais, pois destaco que de Baraúna as três Vereadoras, a própria Graça Ferreira, Helena Rebouças e Neuza Oliveira seguem na delegação, após intensa movimentação envolvendo as instituições, inclusive com a realização de audiências públicas.
 
Ainda pode-se se ressaltar o apoio do mandato da Deputada Isolda Dantas, que historicamente sempre apoiou a Marcha das Margaridas, conseguindo junto a Presidência da Assembleia Legislativa um ônibus e no esforço da Deputada com a FETARN  a Governadora Fátima Bezerra oportunizou mais três ônibus  não sendo como os governadores passados e nem o ideal, mas dentro da situação de crise do Estado, a de se considerar bastante significativo, como também foi a Prefeita de Mossoró oportunizando um ônibus.
 
A denominação de “Marcha das Margaridas” é uma alusão a sindicalista paraibana, nascida em Alagoa Grande, Margarida Maria Alves, assassinada no dia 12 de agosto de 1983 na porta de sua casa. O tema da marcha de 2019 está intitulado de “Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência”, com dez eixos políticos, sendo o de maior relevância o denominado “Terra, Água e Agroecologia; pela proteção e conservação da sociobiodiversidade e acesso aos bens comuns”.
 
  A delegação do Estado contribua com a sua participação e se junte a de todos os Estados brasileiros, reunindo mulheres agricultoras do semiárido e de todos os biomas, das águas e das florestas, na maior diversidade cultural, e inclusive representantes de países das américas, considerada a maior mobilização das mulheres da América latina, e que em virtude desta gigantesca mobilização consiga também, refrear a cultura do machismo e da violência doméstica e de feminicídios que se abatem contra as mulheres em índices estarrecedores.