Cardeais escolherão novo Papa

04/03/2013

Por: UOL

 

Cardeais de todo o mundo começam hoje, no Vaticano, a preparação do conclave que escolherá o sucessor do papa emérito Bento 16.

Às 9h30 de Roma (5h30 de Brasília), os religiosos se reunirão pela primeira vez na Congregação Geral, convocada para discutir a transição no comando da igreja.

Este pré-conclave começa abalado por escândalos sexuais. Ontem, o cardeal escocês Keith O'Brien, que renunciou no dia 25 ao cargo de arcebispo de Edimburgo após ser acusado de "comportamento inadequado" nos anos 80, admitiu que sua "conduta sexual ficou abaixo dos padrões" que se esperavam dele.

Editoria de Arte/Folhapress

A Congregação Geral, que começa hoje, serve como termômetro da receptividade aos mais cotados para papa, embora também participem os cardeais com mais de 80 anos, que não terão direito a voto.

Também devem discutir temas espinhosos como o vazamento de informações, conhecido como Vatileaks, e a possibilidade de acesso ao relatório da comissão de três cardeais que investigou o escândalo.

O conclave não tem candidaturas formais, mas os cardeais aproveitam o período de Sé Vacante para articular, nos bastidores, o apoio a seus preferidos antes de se trancarem na Capela Sistina.

Segundo religiosos que participaram do conclave de 2005, nomes não são citados nos debates. No entanto, os cardeais começam a sinalizar suas intenções de voto ao enumerar as qualidades que esperam ver no próximo papa.

Os eleitores devem buscar um sucessor capaz de enfrentar problemas como a perda de fiéis, os escândalos de pedofilia e as suspeitas de corrupção no Vaticano. Nesta fase preparatória, os cardeais também estabelecerão a data do conclave. Espera-se que a eleição comece até o dia 11.

COTADOS

Vaticanistas afirmam que a lista de favoritos é encabeçada pelo italiano Angelo Scola, arcebispo de Milão. Ele seria o preferido de Bento 16.

Scola é o mais cotado caso a igreja volte a escolher um italiano para comandá-la. Outra opção seria Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho de Cultura da Santa Sé.

Dois "papabili" citados vêm da América do Norte: o canadense Marc Ouellet e o americano Sean O'Malley.

Dos cardeais da América Latina e da África, os mais cotados são o brasileiro Odilo Scherer e o ganês Peter Turkson.

Fonte: UOL