Helicóptero militar dos EUA cai perto da fronteira da Coreia do Norte

16/04/2013

Por: Uol Notícias

 

Um helicóptero militar dos Estados Unidos caiu na Coreia do Sul, nas proximidades da fronteira com a Coreia do Norte, nesta terça-feira (16). Todas as 16 pessoas que estavam a bordo sobreviveram. As informações são da agência de notícias sul-coreana "Yonhap".

O helicóptero Sikorsky CH-53 caiu em um campo militar de treinamento de tiro em Cherwon, a 88 quilômetros ao norte de Seul. Os três integrantes da tripulação e os 13 soldados norte-americanos que estavam na aeronave nada sofreram.

Segundo o canal de TV "Sky News", cerca de 28.500 militares norte-americanos atuam de forma permanente na Coreia do Sul. De acordo com a agência "Yonhap", a aeronave se preparava para pousar depois de três horas de exercícios de treinamento, realizados junto com outros cinco helicópteros, quando caiu. Ainda não se sabe as causas do acidente.

Tensão na península coreana

A queda do helicóptero acontece em um momento de elevada tensão na região. O Exército norte-coreano deu nesta terça-feira um "ultimato" ao vizinho do sul, prometendo lançar um ataque inesperado, caso as atividades hostis contra a Coreia do Norte continuem na península.

O alerta foi feito depois que manifestantes em Seul queimaram, na segunda-feira (15), imagens do fundador da Coreia do Norte, Kim Il-Sung, de seu filho, Kim Jong-Il, e de seu neto e atual líder do país, Kim Jong-Un.


Tensão entre as Coreias205 fotos

185 / 205
15.abr.2013 - Protesto contra a Coreia do Norte toma as ruas de Seul, na Coreia do Sul, nesta segunda-feira (15). Os manifestantes queimaram bonecos com a imagem do líder norte-coreano Kim Jong-un e dos seus antecessores, Kim Jong-il e Kim Il-sung. A Coreia do Norte celebra hoje o 101º aniversário do fundador do país, Kim Il-sung 

O ato coincidiu com as festividades nacionais na Coreia do Norte pelo 101º aniversário do nascimento de Kim Il-Sung, uma data reverenciada como "O dia do sol".

 

 

A tensão na península é grande desde dezembro, quando o Norte realizou com sucesso um lançamento de foguete, considerado pelos Estados Unidos e a Coreia do Sul como um disparo de teste de míssil balístico.

Em fevereiro, Pyongyang executou um terceiro teste nuclear, o que provocou a adoção, no início de março, de novas sanções pelo Conselho de Segurança da ONU.

No dia 30 de março, Pyongyang anunciou que se encontrava em "estado de guerra" com a Coreia do Sul, depois de ter rompido todas as comunicações diretas entre os governos e os exércitos dos dois países no dia 27.