"A soberania popular tem que ser respeitada”, afirma Fátima Bezerra

02/02/2016

Por: Redação do PN
Foto: Arquivo PN
A senhora tem apoiado mobilizações de categorias e acompanhado a reivindicação de alguns grupos. Qual a importância desses atos? O que eles representam?
 
Essas mobilizações fazem parte de um movimento que está sendo gestado e organizado em todo país, que é a construção da frente Brasil Popular. Essa frente, como o próprio nome diz, é uma frente ampla, suprapartidária, que reúne desde os movimentos socais e populares até partidos de perfil progressista. Ou seja, reúne os cidadãos e cidadãs nesse país que não comungam de maneira nenhuma com nenhuma tentativa de ataque à nossa democracia. Essa frente é para deixar muito claro que nós estamos mobilizados, estamos atentos, estamos vigilantes na defesa da legalidade democrática e nós não aceitaremos golpe nenhum. Houve eleições neste país para presidente, para governador, para deputado estadual, para deputado federal e para senador. O voto do povo tem que ser respeitado; a soberania popular tem que ser respeitada. Essa frente é para lutar no sentido de barrar qualquer iniciativa de caráter golpista.
 
No Congresso Nacional existe clima para essa questão de impeachment ou “golpe”?
 
Isso não vai prosperar porque o impeachment não tem absolutamente nenhuma solidez do ponto de vista jurídico. Nenhuma! Não tem absolutamente nada que implique do ponto de vista pessoal da conduta, da história e da trajetória da presidente Dilma. Não há motivo para impeachment, para golpe.
 
 Qual é o intuito da oposição, portanto?
 
O que a oposição incoformada e inconsolada pelas derrotas quer é promover o caos e apostar no “quanto pior melhor”. Porém, a população já está se dando conta que não é disso que o Brasil precisa. O país precisa é de respeito às suas instituições democráticas. O Brasil precisa neste momento é de união para retomada do crescimento, para trazer o emprego, para distribuição de renda, para os investimentos, para as políticas de inclusão social. O país está passando por uma crise, mas nós do partido queremos dizer que um governo como o de Lula e de Dilma - que já foi capaz de fazer o que fez pelo Brasil, tirando milhões de pessoas da miséria - tem toda a capacidade de superar este momento. Ao longo dos últimos anos, foram investimentos na educação e programas como “Minha Casa, Minha Vida”, Prouni e Bolsa Família. Com aliança com outras forças políticas, vamos superar essas dificuldades para que a gente, se Deus quiser, retome de novo o crescimento da economia, com emprego, com distribuição de renda, com as políticas de inclusão social e com os investimentos necessários.