"É nosso objetivo levar a AFURN para o interior", afirma Nilberto Galvão

16/02/2016


Foto: Arquivo PN
A AFURN promove agora cursos de fotografia e também de inglês. Fale sobre este projeto.
Essa é a grande novidade da associação neste ano. Nós estamos reativando o Centro de Treinamento em Cultura, que já tem 10 anos de existência, e agora estamos promovendo cursos de línguas, inglês e espanhol. Além disso, há também curso de fotografia, com a finalidade de fazer com que as pessoas que gostam de Facebook e de outras mídias sociais possam aprender a fotografar do seu celular. Posteriormente, se for o caso, essas pessoas podem até fazer um curso avançado de fotografia, que a AFURN também oferece. O curso é aberto ao público. A nossa equipe de professores é de alto nível e nossa certificação é credenciada pela Secretaria Estadual de Educação, o que é muito importante.
 
O que é o projeto Renovida?
É um projeto bastante difundido dentro da nossa instituição. É o maior cartão-postal da AFURN. Hoje nós levamos esse projeto como modelo para 57 universidades federais do Brasil inteiro. Aqui, ele atende uma demanda de mais de 1.800 aposentados da nossa associação a visa a dar a eles qualidade de vida. O Renovida funciona de uma forma muito completa, temos assessoria jurídica, pedagógica e social. Além disso, promovemos a cada mês várias atividades, de modo a trazer o aposentado para a AFURN e fazê-lo participar das nossas atividades.
 
Que atividades são desenvolvidas?
Agora nós estamos iniciando, por exemplo, o AFURN no Cinema. A cada mês, na segunda sexta-feira, a gente leva um grupo de aposentados para uma sala de cinema e faz uma sessão de matinê com guaraná e pipoca. Nós também levamos nosso associado para conhecer o estuário do rio Potengi, uma vez por mês, e fazemos passeios. Também desenvolvemos outras atividades desse projeto, que faz com que o aposentado se integre à AFURN. 
 
A AFURN também tem um centro clínico, que oferece atendimento médico básico e em várias especialidades. Agora vocês estão oferendo uma nova especialidade. Qual é?
É a cardiologia. Era uma necessidade muito grande do nosso centro, pois nós tínhamos diversas especialidades, como ginecologia, oftalmologia, dermatologia, clínica médica, psicologia, mas não tínhamos cardiologia, que hoje é muito caro no mercado de Natal.
 
Esses serviços também são abertos ao público externo?
Todos os serviços da AFURN são abertos ao público externo. Não atendemos só associados. Cobramos dessas pessoas apenas uma taxa diferenciada. Mas também temos uma novidade para baratear esses serviços para a população, que é o cartão fidelidade, um cartão que qualquer pessoa pode adquirir e custa apenas R$ 10. Com ele, você tem desconto diferenciado em todos os serviços da AFURN, em toda a assistência que a nossa associação oferece.
 
Em breve a AFURN chegará a cidades do interior do estado e não estará mais só na Região Metropolitana. Nos fale sobre quais cidades poderão ser beneficiadas com os serviços da associação.
Nós temos bases em Santa Cruz, Caicó, Currais Novos e Pau dos Ferros. Eu tinha no meu programa de gestão um pensamento de levar a AFURN ao interior. Nós encontramos algumas dificuldades, porque quando chegamos à direção, encontramos algumas sedes fechadas. Tivemos que reabri-las para poder levar nossa assistência. Santa Cruz será nossa primeira ação efetiva. Nós reabrimos e estamos levando os serviços para lá.
 
Para fazer matricula nos cursos de fotografia e línguas ou conhecer o centro clínico e outros projetos da AFURN, liga pra onde?
 
O telefone é o 3231-6330. Mas há também o Facebook da AFURN e o Twitter @afurn. Esses são os canais onde se pode obter informações sobre a Associação. 

Fonte: Redação PN