Diretor do IFRN Parnamirim fala sobre estrutura e interação com a comunidade

05/05/2016

Por: Cefas Carvalho
O diretor do Campus Parnamirim do IFRN, Ismael Coutinho,  foi entrevistado no programa Na Redação do PN, parceria do Potiguar Notícias com a 87,7 FM, e falou sobre a instituição, ações, projetos e problemas da unidade. Confira:
 
Como é atualmente a estrutura do IFRN Campus Parnamirim?
O IFRN tem uma estrutura boa e grande, que toda a comunidade parnamirinense pode conhecer, inclusive. Estamos de portas abertas, e temos um projeto de comunicação para poder receber a todos que querem nos procurar. Hoje contamos com estrutura necessária para atender 6 cursos e temos laboratórios para atender o curso de mecatrônica. No total, nosso câmpus dispõe de 21 laboratórios, temos 16 salas de aulas, parque poliesportivo, ambientes administrativos e uma estrutura de gestão totalmente voltada para atender aos anseios da comunidade. Já estamos no nosso quinto ano aqui no município de Parnamirim, o que é uma alegria para nós.
 
E a estrutura humana? Quantos professores e quantos estudantes circulam pelo Câmpus Parnamirim?
 
Contamos hoje com 61 professores e 45 técnicos administrativos que compõem a nossa estrutura básica de servidores. Temos ainda na faixa de 30 terceirizados para atender 1.050 alunos. Então, é uma estrutura onde gerenciamos quase 1.200 pessoas em nosso câmpus.
 
É possível dizer que o IFRN é um marco na educação em Parnamirim?
 
Acredito que sim, não só aqui em Parnamirim, mas no estado todo. Eu entrei em 2006 e comecei pelo câmpus Ipanguaçu. Depois disso, já passei pelo câmpus Macau, já estive no câmpus Central também na época que ainda era CEFET e hoje no câmpus Parnamirim a gente consegue ver não somente o câmpus Parnamirim mas todos os outros campi do IF agindo de uma forma muito proativa, de uma forma muito importante nos municípios. Aqui em Parnamirim, nós desenvolvemos muitas parcerias com o município e com o estado e temos algumas parcerias com algumas escolas no sentido de estar ajudando com o desenvolvimento de alguns projetos.
 
Mesmo sabendo que não é responsabilidade do IFRN, existe algum contato da instituição com o DNIT no sentido de resolver o problema da parada de ônibus em frente ao câmpus?
 
Nós passamos, sim, por dificuldades, e a parada para transporte coletivo é uma delas. Apesar de ela ter sido construída, vemos que ainda é um espaço ainda pequeno e que não acolhe nossos estudantes. Por isso, eles passam por maus pedaços. Existe toda uma discussão sobre de quem é a responsabilidade daquela parada. Na realidade, é realmente do DNIT e a gente já manteve diversos contatos com o DNIT, mas infelizmente o projeto que foi trabalhado ainda não está em andamento.
 
Quais são os projetos do IF e quais são as novidades? O que se pode esperar para o segundo semestre?
 
Nós tivemos muitos projetos interessantes no ano passado e provavelmente eles vão entrar em novas edições, vão ser renovados. Temos o projeto de alfabetização ecológica, que é um projeto que tem todo um cuidado com a preservação do meio ambiente e envolve servidores, alunos e a comunidade externa. Também existe a nossa SECITEC, que é a semana de Ciência e Tecnologia e Extensão do IFRN, que no ano passado foi no campus Santa Cruz e no próximo mês de novembro será na nossa unidade. Esse evento tem o apoio da 2ª DIRED e estamos buscando apoio de secretarias de Educação de municípios vizinhos para este evento, que reúne cerca de 3 ou 4 mil pessoas por dia.