Pesquisadora potiguar é premiada pela Associação Americana de Combate ao Câncer

14/02/2019


Por seu trabalho de pesquisa contra o câncer desenvolvido no Rio Grande do Norte, a professora do Departamento de Biologia Celular e Genética da UFRN e coordenadora de Pesquisa Translacional na Liga Norte-Riograndense contra o Câncer Tirzah Braz Petta Lajus foi reconhecida pela Associação Americana para Pesquisa do Câncer (AACR), onde recebeu o Prêmio AACR Global-Scholar-In-Training Awards (GSITA).
 
Ela integra um seleto grupo de 15 pesquisadores, formado por acadêmicos de vários países, que trabalha para reduzir a incidência, a morbidade e a mortalidade da doença no mundo. Esta é a primeira edição do prêmio, que foi criado em 2018 com o objetivo de reconhecer o comprometimento de estudos que tenham como foco a prevenção e cura de todo o câncer por meio de pesquisa, educação, comunicação, colaboração, financiamento e defesa.
 
A premiação oferece aos pesquisadores a oportunidade de adquirir interação e treinamentos adicionais que poderão ser aplicados em seus países de origem, além de ter acesso a uma rede internacional de pesquisadores especializados em oncológica através do programa GSITA, voltado para pesquisadores qualificados em início de carreira de todos os países de baixa e média renda.
 
Os ganhadores do prêmio participam ainda de um evento de monitoria e networking pós-conferência em uma importante instituição de pesquisa acadêmica.
 
Trabalho desenvolvido
 
Em 2018 a pesquisadora potiguar Tirzah Braz Petta Lajus foi coautora do estudo que confirmou a heterogeneidade molecular dos genes BRCA1 e BRCA2, cuja a função é impedir o surgimento de tumores através de moléculas de DNA danificadas. A pesquisa consiste em encontrar novas formas de combate ao câncer, com pesquisas complementares que indiquem tratamentos mais adequados, assertivos, menos invasivos e com a diminuição considerável de riscos. Os resultados foram publicados na conceituada revista Scientific Reports, do grupo Nature.
 
Associação global
 
Com mais de 40.000 membros em 120 países, a Associação Americana para Pesquisa do Câncer (AACR) está comprometida em oferecer oportunidades educacionais e de treinamento para cientistas e médicos, percebendo a mudança que uma pessoa pode fazer na luta contra o câncer.
 
Com aproximadamente 70% de todas as mortes por câncer ocorrendo em países de baixa renda e apenas 5% dos recursos globais para prevenção e controle do câncer sendo gastos, fica clara a falta de estrutura desses lugares para lidar com o ônus do câncer. A falta de conscientização pública sobre a doença, menos recursos, acesso limitado a serviços acessíveis e de qualidade e sistemas de saúde pública inadequados contribuem para um resultado desigual em comparação com outros países.
 
Sobre a pesquisadora
 
Tirzah Braz Petta Lajus é doutora em Biologia Molecular e Genética do Câncer pela Universidade Paris XI e pela Faculdade de Medicina do Kremlin-Bicêtre, ambas na França. Integrante do Departamento de Biologia Celular e Genética da UFRN, onde coordena o grupo de pesquisa em Oncologia Molecular, é Coordenadora de Pesquisa Translacional na Liga Norte-Riograndense contra o Câncer, onde desenvolve pesquisas em Oncologia Molecular e Aconselhamento Genético em oncologia. É coordenadora adjunta do Núcleo de Genômica da UFRN.