Minha historia de Novo-amor com Parnamirm: “Lá em nóis“

07/06/2019

Por: Nicole Tinoco
 
Confesso que não gostei nada em saber que iria me mudar para Parnamirm. Sempre fui moça velha, daquelas crianças que desde cedo têm conversa de gente grande. E como “adulta” que eu era queria me mudar para um bairro “badalado” tipo Ponta-Negra, ou qualquer um próximo onde meus amigos morassem. 
 
Mas como só tinha 13 anos, e pouco “querer”, lá viemos nós: toda família desbravar o desconhecido território de “Nem”. Nem Natal , nem Parnamirm” : a Nova Parnamirim. Chegamos aqui no chão de terra batida, as linhas de ônibus eram escassas, e as alternativas ainda estavam por chegar, o que corroborava ainda mais a minha birra juvenil em não querer morar no lugar em “que ninguém me daria carona”. 
 
Mas o tempo foi passando, as coisas evoluindo, a Abel Cabral (nossa avenida) foi crescendo e se tornando um polo do comércio. E eu como boa consumista que sempre fui , (não com orgulho) passei a ver a minha “terrinha” com outros olhos. 
 
E, advinha onde comprei minha primeira casa ? Pois é, “Nem” virou “Nóis”, Nova Parnamirim virou “minha terrinha” e o sentimento mudou completamente. Aqui fiz grandes amigos, meus brotherS da academia (Beijo Ivan), meus amigos dos Shakes da vida (Regma, saudade sempre) e como não falar da turma do Nimbus (um prédio no início da Abel Cabral que é quase uma cidade onde moraram grandes e amados amigos meus:  os “Nimbenses” e onde passei uma curta porém divertida temporada ).
 
Sou amiga da dona do mercadinho , conheço todo mundo das principais padarias, aqui já tive comércio, quem não lembra da “Dambos”? Tenho amigas proprietárias de salão de beleza , lojas de roupas adulto e infantil.. Fui frequentadora de shakes Herbalife, enfim eu vivi e ainda vivo um pouco o bairro. 
 
Eu disse ainda porque me mudei, lembram do primeiro parágrafo? A menininha espevitada está morando onde queria, hoje moro em “ponta” com toda sua energia vinda do mar, mas posso assegurar uma coisa : meu coração é todinho de “nóis”! 
 
Seja pra uma hidratação lá no Plena Beleza salão da minha amiga Mônica ou pra confiar nas orientações farmacêuticas da minha amiga Ayla que cuida de mim melhor que qualquer médico , em qualquer situação de perigo ou necessidade eu corro pra Nova-Parnamirim. 
 
Por que na verdade lar mesmo não é onde a gente mora , dorme , ou faz refeições, lar é onde nosso coração habita. E eu com muito orgulho, por onde chego afirmo: Ah ! Eu sou de Nova Parnamirim! De lá eu não precisava sair de lá para N-A-D-A, lá tem tudo! E tem mesmo! Para além de todos os serviços aqui descritos some também clínicas , shoppings, supermercados e principalmente o afeto dos moradores que ainda trazem em consigo um pouco do calor da vida de interior, sem contar , no meu caso particular, o carinho dos melhores amigos que alguém poderia ter!