Carlos Eduardo se enfraquece politicamente em Parnamirim e no RN

13/08/2019

Por: Genilson Souto
 
Uma radiografia da pré-campanha visando a sucessão municipal nos três maiores municípios do RN que concentram 35,8% dos eleitores do estado (Natal, Mossoró e Parnamirim têm, juntos, mais de 850 mil eleitores), mostra claramente que a carreira politica no Poder Executivo para o ex-prefeito Carlos Eduardo pode estar chegando ao fim.
 
Em todo o estado são mais de 2.373 milhões de eleitores e os pré-candidatos concentram suas articulações nelas para as eleições de 2020 e o enfraquecimento eleitoral do filho do saudoso prefeito Agnelo Alves já na próxima campanha de 2020, já que não pode disputar e nem tão pouco lançar a mulher, Andréa Ramalho, revela um dado trágico: sem aliados de peso em Natal, Mossoró e Parnamirim, só para citar essas três cidades, o que restará para Carlos é disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.
 
Aos poucos antigos aliados vão dando adeus ao ex prefeito que amarga a saudade da giroflex e a ausência da caneta cheia de tinta para fazer política. Justina Iva, Homero Grec, só para citar esses exemplos, deixaram o grupo de Carlos e agora cantam no coral do prefeito Taveira sendo secretários municipais. A nota emitida por Carlos Eduardo no último final de semana é enfática quando afirma que nunca indicou e nem indicará cargos na gestão de Taveira, e nem tão pouco apoia politicamente o coronel da PM. É um atestado de que está cada vez mais fraco sem nenhuma influência para aumentar seu cacife eleitoral.
 
Um pergunta então não pode calar: se Justina Iva e Homero não são da cota de Carlos Eduardo é óbvio que seguirão o projeto politico de reeleição de Taveira e consequentemente estarão no próximo governo se o gestor for reeleito (apesar da desaprovação histórica) e com isso apoiarão para o governo a volta de Robinson Faria que é aliado politico de Taveira e já está percorrendo cidades do RN fortalecendo o PSD para 2020 e 2022. O que resta agora para Carlos em Parnamirim é assumir logo a pré-candidatura de Walter Fernandes, amigo de longas datas da família Alves ou decidir-se por Gildásio ou Fativan Alves, vereadora de oposição a Taveira.
Aos poucos Taveira desmonta palanques outrora de aliados, assim como fez com Maurício Marques, para seu projeto de reeleição mesmo que para isso assombre até quem está morto.