José Pinto Júnior

12/02/2019

 

Carlos Eduardo pode se tornar liderado de Boslonaro

 

O ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) pode se tornar liderado do presidente da República Jair Bolsonaro. Este movimento pode indicar um cargo no Governo Federal e até mesmo a saída do PDT.
 
Na eleição de 7 de outubro do ano passado, no 2º turno, Carlos apoiou Bolsonaro. Este foi o primeiro movimento. Mas, o que sugere que outros movimentos de aproximação vão acontecer?
 
Primeiro, Carlos não é acostumado a fazer política sem cargo público. Segundo, já não tem seu pai, Agnelo Alves, para articular, logo, terá de articular sozinho. Terceiro, como renunciou à Prefeitura de Natal, terá, por força da Legislação, esperar quatro anos para uma eleição a nível de Estado e seis para disputar uma municipal, tempo demais para um político tradicional esperar.
 
Quarto; O candidato do PDT a presidente Ciro Gomes e líder nacional do  partido, ataca quase diariamente o presidente Bolsonaro (embora também critique o PT), portanto, caso se aproxime de Bolsonaro Carlos terá de se afastar de Ciro. saindo do PDT poderá se filiar ao PSL ou a qualquer partido que apoie o Governo Federal.
 
Quinto; A adversária estadual de Carlos, Fátima, governadora eleita e que já governa, é adversária de Bolsonaro, outro fator que aproximaria carlos do presidente.
 
Sexto; O prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB) diminui a influência de Carlos no governo municipal a cada dia.
 
Para tornar a questão ainda mais entrincada, seu apoio a Bolsonaro no segundo turno e a coligação com pmdb e dem o distanciou dos setores progressistas com os quais tinha se aproximado quando se distanciou das chamadas oligarquias . Como se sabe, ano passado dividiu palanque com o restante da família, Alves, com os Rosados e com os Maia.
 
Tudo pode acontecer, inclusive nadal. Mas, que Carlos Alves precisa de um  cargo público para voltar à cena política, não há dúvida. Caso decida voltar á cena política como protagonista, deverá buscar a sombra do Governo Federal.