Cefas Carvalho

30/10/2019
Juro que tento.
 
Separo fotos artísticas. Rabisco pseudo-crônicas. Reúno links de músicas e matérias curiosas.
 
Fotos antigas. Recordações. Ideias e devaneios. Tudo para postar nas redes sociais.
 
Mas, diariamente, sem trégua, sem folga, sem intervalos, o (des)governo federal, tendo sempre o presidente à frente, vem como alvo de nova denúncia. Ou briga entre si. Ou postam alucinações, ameaças, vídeos ensandecidos.
 
Ou então se saem com frases infelizes, sempre envolvendo machismo, misoginia, racismo ou homofobia.
 
Aí não dá para ignorar. É a realidade que bate à porta. Desgovernos com tendência ao Fascismo e flertando com Ditadura não podem ser ignorados nem subestimados.
 
Para não dizer que não falei das flores, parafraseando Geraldo Vandré, lembrei dos cravos, na verdade da lusitana Revolução dos Cravos, ao ouvir agora a noite "Tanto mar", de Chico. 
 
Que lutou e luta contra a Ditadura. Voltamos ao começo, portanto. Conciliemos arte e denúncia. O lúdico com a crítica implacável a este (des)governo. Que, pelas notícias de hoje, pode estar começando a cair.