Cefas Carvalho

18/03/2020
 
Não é hora de fiscalizar voto ou apoio e sim de afastar um desequilibrado do poder
 
 
Ronaldo Caiado, governador de Goiás, apoiador de Bolsonaro, direitista antiPt e médico, no domingo confrontou bolsonaristas aloprados que insistiam em ato público em tempos de panderia. Saiu vaiado. 
 
João Dória, governador de São Paulo, apoiador de Bolsonaro na campanha (Bolsodória, lembram?) afirmou estar arrependido de ter votado em Boslonaro.
 
Janaína Paschoal, alucinada autora da peça processual do impeachment de Dilma e eleita deputada estadual graças ao sentimento boslonarista pediu o afastamento de Bolsonaro.
 
Alexandre Frota, ator pornô e subcelebridade eleita pelo bolsonarismo deputado federal, entrou com pedido de impeachmente de Bolsonaro.
 
Estão contra Bolsonaro e pedindo seu afastamento. Ponto!!!
 
A militância progressista agora tem que entender: Não é mais (e há tempos) Esquerda x Direita. É Civilização x Barbárie. E essa barbárie flerta com Ditadura Militar.
 
Se o objetivo é tirar Bolsonaro, não importa o que esse pessoal fez no verão passado. Importa é que agora eles querem o mesmo que os progressistas e as pessoas sensatas.
 
Enquanto não se parar de fiscalizar voto e passado alheios, seja de políticos, celebridades, do vizinho chato ou do tio do pavê, não se viabiliza afastar Bolsonaro.
 
Collor e Dilma só foram derrubados por que gente que os apoiou foi para o lado oposto (lembram do MDB, Martha Suplicy? Pois é).
 
A hora é de tirar um governo inepto, ignorante, truculento e fascista do poder. Que assuma Mourão. Uma coisa de cada vez. Depois a gente - digo Esquerda, Direita, civilização - vê como faz.