Evandro Borges

27/03/2020
 
O SAAE de Ceará Mirim e o coronavirus
 
 
O Serviço Autônomo de Águas e Esgotos – SAAE, uma autarquia municipal, com servidores estatutários, o seu orçamento e finanças é completamente dependentes do que se arrecada, não há recursos do tesouro municipal, assim o que realiza é via os investimentos próprios e seu custeio (manutenção) resultado dos serviços que presta a população municipal.
 
O saneamento público em todas as suas dimensões de abastecimento d’água, de recolhimento das águas pluviais, de coleta de lixo e dejetos sanitários para as municipalidades é uma tarefa que se pode denominar de hercúlea, principalmente, para os Municípios do Nordeste e em especial para Ceará Mirim, localizado na Região Metropolitana de Natal, no cenário atual.
 
Historicamente Ceará Mirim vocacionada para agricultura e para monocultura da cana de açúcar dos Engenhos e depois das Usinas, todos eles fechados, com exceção da “Ypioca” no fabrico de bebidas alcoólicas e fornecedores de cana que se conta nos dedos, deixando um rastro de vulnerabilidades de pobreza, de analfabetismo, de desnutrição, que precisam ser superados, sem indústrias de porte que absolva a força de trabalho disponível, bem diferente de Municípios como Extremoz, São Gonçalo do Amarante e Macaíba.
 
A população rural atinge trinta mil habitantes em mais de noventa comunidades rurais e assentamentos de ações de reforma agrária voltados para agricultura familiar com destaques para diversas iniciativas coletivas e individuais, além da uma população urbana remanescente dependente da agricultura, sendo considerado um Município dormitório, e por ironia os investimentos que foram destinados tais como o único Aterro Sanitário da Região Metropolitana de Natal sem os queimadores e a nova cadeia pública.
O SAAE está fazendo um esforço enorme, que impõe muita austeridade e determinação, com a calamidade pública e quarentena necessária para tentar diminuir a expansão do coronavirus, nem é necessário dizer que  arrecadação caiu abruptamente, e com o aumento do consumo d’água em razão das pessoas estarem nas suas casa, praticando as higienes recomendadas nos protocolos de saúde, levando a operação a exaustão.
 
Os recursos de ingressos diminuíram e o trabalho do serviço de abastecimento d’água aumentou em escalas nunca vista, mesmo assim, o Diretor Geral tomou medidas em Portaria de coragem e de austeridade, proibindo o corte do serviço de abastecimento d’água para as pessoas em vulnerabilidade social e econômica conforme os cadastros da Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência Social.
 
E foi mais além às residências que moram idosos e doentes crônicos, considerados do grupo de risco ao coronavirus estão proibidos os cortes de abastecimento d’água, assim em torno de setenta por cento da população serão beneficiadas contra o corte d’água e com uma reduzida equipe para as demandas que são chamadas constantemente.
A dureza deste momento complexo e ainda de disputa política, é passar incólumes, sem vítimas do coronavirus mantendo as estruturas existentes para evitar o caos, o momento da solidariedade é quem pode pagar as suas faturas realizarem, os devedores, principalmente, pessoas jurídicas privadas e públicas quitarem seu débitos, pois a esta altura o serviço de abastecimento d’água do SAAE de Ceará Mirim é mais que essencial.
 
 
OBS: Confira no vídeo abaixo, a palavra do diretor do SAAE de Ceará-Mirim Marcilio Dantas,  no Jornal Potiguar Noticias
 
https://www.youtube.com/watch?v=u_8eKJjBepk