Ana Paula Campos

30/03/2020
 
LUGAR DE FALA INTERDITA O DEBATE?
 
 
Para começo de história, vamos lá: todo mundo tem lugar de fala, então, todos podem e devem falar. Dito isto, vamos adiante.
 
Quando pensamos em lugar de fala, precisamos ter clareza de que estamos discutindo sobre a fala dos indivíduos a partir do seu lugar social. Não se trata de um debate individual, mas, sim, sobre os discursos de um grupo sob uma determinada perspectiva. Vivemos em sociedade e, mesmo com as nossas individualidades, compartilhamos experiências como grupo social, de modo que todos os pontos de vista são válidos e necessários para pensarmos outra alternativa de interação.
 
Reconhecendo que os grupos periféricos do país ocupam um lugar de invisibilidade, constatamos que suas vozes são silenciadas e suas vivências e necessidades são pensadas e descritas por grupos hegemônicos que não conhecem essa realidade. Pessoas brancas, geralmente posicionadas em lugares de privilégio e de poder, podem e devem falar, desde que destacando que estão narrando os fatos a partir deste lugar de fala.
 
Pessoas brancas precisam descer do palco e ceder a vez às pessoas que têm legitimidade de fala, quando o assunto nos diz respeito. Então você, mulher e homem branca/o, pode estar inquieta/o ao ler meu texto e questionar: “Então eu não posso falar sobre racismo?” Pode e deve! Sua fala é essencial na nossa luta, mas você vai falar a partir do seu lugar de fala de pessoa branca. Nossas experiências são diferentes. Que maravilha seria se as/os negras/os se reunissem pra discutir sobre questões do tipo: “como podemos ser antirracistas?”, “repensando os privilégios brancos” ou, ainda, “qual minha parcela de responsabilidade no processo de combate ao racismo?”.
 
É preciso que você, pessoa branca que me lê agora, compreenda que o nosso lugar social, do/a negro/a, é um lugar de vulnerabilidade e que a grande maioria dos negros e negras não tem acesso a determinados espaços, razão por que as nossas vozes não são ouvidas, já que não estamos presentes em espaços privilegiados. Para além do verbo “falar”, lugar de fala diz respeito essencialmente à questão do reconhecimento do discurso dos grupos marginalizados. 
Nós temos as nossas vozes e temos o que dizer. Sente-se e vamos dialogar.
 
DICA DE LIVRO:
RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.