Cefas Carvalho

15/04/2020
 
Imagine milhares de acidentados de moto ao mesmo tempo em todo o país...
 
 
A pergunta do título é uma evidente provocação, a título de analogia e convite a reflexão.
 
Milhares de pessoas sofrem acidentes de moto no Brasil durante todos os meses do ano. Muitos morrem. Mas, grande número desses motociclistas são hospitalizados e sobvrevivem, ainda que com arranhões, um membro quebrado, cicatriezes, pontos.
 
Agora imagine se os acidentes de moto no país acontecem quase todos ao mesmo tempo e em todos os Estados e cidades? Você acha que os hospitais teriam condições de atender a tanta gente?
 
Alguns morreriam ainda na ambulância a caminho do hospital. Outros, chegariam com vida e seriam atendidos. Muitos certamente chegariam com vida ao hospital, após a queda da moto, mas sem leitos, sem equipamentos e sem médicos disponívis, ficariam em macas e colchões improvisados. Morreriam de hemorragia, infecção, coisas assim.
 
Poderiam ter sido salvos? Sim. Desde que, repetindo: com leitos, sem equipamentos e médicos disponíveis.
 
Morreriam por causa do acidente de moto? Sim. Mas, poderiam ter sido salvos se o sistema de Saúde não entrasse em colapso? Também, sim!
 
Ao excesso de pacientes a serem internados em quantidade maior do que de leitos e profissionais poara atende-los, dá-se o nome de colapso do sistema de saúde. 
 
É isso que se tenta evitar com o isolamento social e quarentena. Que muita gente - ainda que com potencial para sobreviver - contraia o Covid-19 e vá ao mesmo tempo para o hospital.
 
É por isso o isolamento. Para não colapsar o sistema (com muitos infectados, já que o contágio é fácil) e permitir que os infectados tenham tratamento e possam se recuperar (como vem acontecendo agora).