Evandro Borges

24/07/2020
 
 
Natal e a Região Metropolitana
 
 
Natal contando com uma população em torno de novecentos mil habitantes, completamente “conurbada” com Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante e Exrtremoz, com um PIB  colocado em 31º entre os Municípios brasileiros, com renda per capita em torno de R$ 25.000,00 considerada a porta de entrada do turismo, com um suporte de estrutura de Hotéis, Pousadas e Restaurantes, precisa articular melhor a Região Metropolitana com o fim de alcançar um diferencial em relação a outras Regiões e dar uma qualidade de vida respeitável aos seus moradores.
 
A estrutura viária dentro de uma visão geral é considerada boa e moderna, com excelente paisagístico com belas praias, podendo ser ressaltado, a ladeira do sol, Ponta Negra e via costeira, ladeada de dunas e parques, com História e cultura própria ainda pouco explorada, com um esforço de preservação realizada a muitas mãos, de instituições da sociedade civil e de organismos estatais.
 
Natal a cidade do Sol conta com excelentes universidades, destacando a UFRN uma das melhores do país, plural e democrática, com os Institutos Federais, o Central e outros espalhados por diversas áreas, com uma boa educação profissional, escolas confessionais de natureza cristã católica, escolas particulares e públicas, e com serviços que outras municipalidades do mesmo porte estão abaixo de Natal.
 
Este panorama é conhecido, mas, há problemas crônicos que precisam ser resolvidos, que dependem da interação dos Municípios da Região Metropolitana e do Estado, um deles diz respeito à mobilidade urbana, outros da maior importância correspondem ao saneamento em todas as suas dimensões, abastecimento d’água de qualidade, esgotamento sanitário e coleta e depósito do lixo.
 
A administração pública municipal não pode fazer o trivial, tapar buraco, coletar lixo, jardinar as ruas, e promover festas, mas mudar a postura administrativa de fato, liderar com o Governo do Estado a Região Metropolitana, capaz de puxar a coordenação dos trabalhos, preparar projetos que sejam do interesse coletivo e público, capaz de gerar oportunidades e empregos.
 
Por ironia o atual Prefeito, na condição de Deputado e Presidente da Assembleia Legislativa foi quem sancionou a lei de criação da Região Metropolitana de Natal, um projeto de iniciativa da atual governadora, a Profa. Fátima Bezerra com base em dispositivo constitucional, incluindo um Conselho gestor, que evidentemente Natal tem um peso significativo, no entanto é bom lembrar, que no Governo de Rosalba Ciarline não reuniu uma só vez, em que pese todas as tentativas.
 
As eleições municipais estão chegando, com data adiada para quinze de novembro, a discussão vai voltar à ordem do dia, e a população precisa indagar dentro da contemporaneidade o que pretendemos para Natal, um questão crucial consiste na convivência planejada e harmoniosa com a Região Metropolitana, capaz de alavancar o desenvolvimento com sustentabilidade.
 
Assim neste novo contexto, de crise global sanitária e econômica, não se pode aceitar um gestor trivial, simplesmente maquiador, que não enfrentou as questões cruciais, que não seja capaz de liderar e impulsionar a Região Metropolitana, de provocar uma única reunião do Conselho Gestor, nem que seja virtual com todas as facilidades da tecnologia.