Cefas Carvalho

05/08/2020
 
 
A expectativa errada sobre Rodrigo Maia (e o pragmatismo sobre impeachment)
 
 
A militância progressista criou sempre uma expectativa errada sobre Rodrigo Maia. Ele NUNCA foi de Esquerda ou progressista ou nem menos flertou com qualquer das pautas deste campo. Maia JAMAIS sinalizou qualquer defesa de Dilma, Lula, PT ou incômodo com o golpe.
 
Contudo, vamos lá, ele era em 2019 e ainda o é, o nome menos pior para presidir a Câmara Federal em tempos de desgoverno total. É insosso e cínico. Mas, não é fascista nem autoritário. Afirmar que é pior e mais perigoso que Bolsonaro é de um non sense monumental. Essas simetrias absurdas dificultam o combate ao fascismo. Nada é mais perigoso que o fascismo e a truculência do despresidente, seus filhos e o gabinete do ódio que criaram.
 
Repito: Maia é cínico. Mas, não é bobo. Não adianta abrir impeachment sem votos para concretizá-lo. É suicídio político e fortalece Bolsonaro se ele escapar (e hoje, no atual cenário, escaparia). Cunha só colocou o impeachment de Dilma em pauta quando assegurou os votos para faze-lo.
 
Já debati sobre Maia de forma acalorada aqui nas redes e não pretendo fazer isso agora. Paixão é bom quando em um estádio de futebol torcendo para seu time, ou numa noite de amor em um hotel paradisíaco. Em debate político sério e para combater fascismo, paixão atrapalha. Precisamos é de cérebros.Razão.