Renisse Ordine

03/09/2020
 
Resenha; ´O chiqueiro mágico do cantinho do quintal`, de Izabel Fortes
 
 
A magia da leitura transforma a nossa mente e nos leva para todos os cantos do mundo, sem sairmos do lugar e sem limite de tempo e espaço. 
 
Com a autora, os leitores mais adultos tem a oportunidade de recordar as lembranças de uma infância que está longe da realidade de nossas crianças, que raramente usufruem da simplicidade de uma vida longe da tela dos aparelhos e que acaba por aprisionar toda a sua juventude em um mundo particular, sem observar o que está ao seu redor. Como também, não se deliciam da liberdade de correrem solto por aí, com o vento no rosto, os joelhos machucados das tamanhas travessuras que dão asas à imaginação. 
 
E, é assim que a autora compartilha com os seus leitores, como ela imaginava e recriava o seu espaço infantil, partindo de seu quintal a outra realidade que só ela conhecia. 
 
Com toda sua simplicidade ela nos apresenta a história dos leitõezinhos Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si, Nina, da mamãe Porcucha e o papai Cachaço, que viviam no cantinho do seu quintal e certo dia receberam a inesperada visita do Marquês de Rabicó, aquele mesmo do livro do Monteiro Lobato, que lhes despertam a criatividade para se safarem da sina de se tornarem a refeição da família que vivia no casarão.  
 
Uma história que nos leva àquele lamaçal mágico, aquele cantinho que serviu de inspiração à autora, e até mesmo ao nosso cantinho, aquele em que um dia imaginamos um chuchu transforma-se em vaquinha, latinhas em panelinhas, nuvens em qualquer coisa que desejássemos. 
 
Na nossa antiga infância, o quintal era um campo de exploração: inventávamos, criávamos, brincávamos, vivíamos num mundo tão diferente! Que o brinquedo propriamente dito, não fazia falta alguma.
 
Se atualmente não temos espaços para vivenciarmos tantas aventuras, o cérebro ainda é a grande alternativa de criar. Por isso, alimentá-los com os livros é algo fundamental, além de ser um prazer sem limites...
 
Enfim, esse livro é para toda a família, que irá proporcionar um momento para compartilharem conversas, pensamentos e memórias. 
 
No Chiqueiro Mágico tem cantoria, tem café da tarde, tem bandinha, tem coral, tem fuga, tem saudade, tem volta, tem abraço, tem festa...
 
O chiqueiro mágico nunca existiu, para existir sempre