Cefas Carvalho

09/09/2020

 

Sistema de castas: A Índia é aqui!

 
Crescemos lendo e estudando sobre a Índia e seu sistema de castas, cuja divisão define uma hierarquia social naquele país. Sempre observamos aquilo, com nosso olhos de Ocidentais civilizados, ainda que terceiro mundistas, como algo primitivo e exótico. 
 
Isso me veio à mente após a leitura de reportagem sobre decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinando que o Tribunal de Justiça de São Paulo encaminhe a um de seus magistrados um funcionário exclusivo para ajudá-lo durante o home office, especificando para essa missão alguém que "já tenha sido infectado pela covid-19 e esteja recuperado da doença".
 
É mais que insólito. É absurdo, agressivo. Um funcionário "imunizado" de uma doença da qual quase nada sabemos, terá de trabalhar na casa do ilustre magistrado.  
No Brasil, sempre tivemos sistema de castas. Desde que os portugueses aqui aportaram em 1500 trazendo a ´civilização` (e, como cantaria Chico, além da sífilis, é claro). Esse sistema continuou ou ainda, se aperfeiçoou, com as Capitanias hereditárias, depois com a família real no Brasil, depois com a República e seus presidentes ´café com leite`, da elite econômica paulista e mineira. 
 
Enfim, chegamos a 2020 com parte considerável da população não apenas se sentindo como uma casta superior, mas, vivendo como tal. Militares, juízes, políticos, mega empresários. Volta a meia um "cidadão, não, engenheiro` tenta ascender até essas castas, mas, a dura realidade o traz de volta até aqui embaixo onde, como canta o Biquini Cavadão, ´eu sou do povo, um Zé Ninguém, aqui embaixo as leis são diferentes`.
 
E realmente são. As leis e regras sociais que aqui em embaixo para mim e para você valem, e às vezes muito, para as castas superiores, mal valem um risco na água. Reforma previdenciária? Muito boa para a gente aqui, mas, nem chegou perto de militares, magistrados e políticos. Idem em relação à tão planejada Reforma Administrativa. Dívidas em banco? Experimente dever dez reais á uma instituição bancária. Em compensação, veja o perdão sempre dado aos que devem milhões aos bancos, entre agroempresários, políticos inclusive daqui do ErreEne, enfim, pagar dívida é coisa aqui para a casta inferior.
 
Sempre foi assim. Mas, houve períodos onde tentamos, por utopia ou processo histórico, minimizar essa situação. 2020 está nos dizendo cada vez mais que as castas continuarão, e parte da elite, aquela mesma que tinha horror em ver gente simples em aeroporto ou um cenário onde domésticas possam viajar para a Disney (não é mesmo, Paulo Guedes?), trabalha para que o fosso social se abra ainda mais. 
 
O Haiti é aqui, cantaram Caetano e Gil em ´Tropicália 2`. A Índia também é aqui. E agora.
 
<body id="cke_pastebin" rel="position: absolute; top: 11.9922px; width: 1px; height: 1px; overflow: hidden; left: -1000px;">
Sistema de castas: A Índia é aqui!
 
 
Crescemos lendo e estudando sobre a Índia e seu sistema de castas, cuja divisão define uma hierarquia social naquele país. Sempre observamos aquilo, com nosso olhos de Ocidentais civilizados, ainda que terceiro mundistas, como algo primitivo e exótico. 
 
Isso me veio à mente após a leitura de reportagem sobre decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinando que o Tribunal de Justiça de São Paulo encaminhe a um de seus magistrados um funcionário exclusivo para ajudá-lo durante o home office, especificando para essa missão alguém que "já tenha sido infectado pela covid-19 e esteja recuperado da doença".
 
É mais que insólito. É absurdo, agressivo. Um funcionário "imunizado" de uma doença da qual quase nada sabemos, terá de trabalhar na casa do ilustre magistrado.  
No Brasil, sempre tivemos sistema de castas. Desde que os portugueses aqui aportaram em 1500 trazendo a ´civilização` (e, como cantaria Chico, além da sífilis, é claro). Esse sistema continuou ou ainda, se aperfeiçoou, com as Capitanias hereditárias, depois com a família real no Brasil, depois com a República e seus presidentes ´café com leite`, da elite econômica paulista e mineira. 
 
Enfim, chegamos a 2020 com parte considerável da população não apenas se sentindo como uma casta superior, mas, vivendo como tal. Militares, juízes, políticos, mega empresários. Volta a meia um "cidadão, não, engenheiro` tenta ascender até essas castas, mas, a dura realidade o traz de volta até aqui embaixo onde, como canta o Biquini Cavadão, ´eu sou do povo, um Zé Ninguém, aqui embaixo as leis são diferentes`.
 
E realmente são. As leis e regras sociais que aqui em embaixo para mim e para você valem, e às vezes muito, para as castas superiores, mal valem um risco na água. Reforma previdenciária? Muito boa para a gente aqui, mas, nem chegou perto de militares, magistrados e políticos. Idem em relação à tão planejada Reforma Administrativa. Dívidas em banco? Experimente dever dez reais á uma instituição bancária. Em compensação, veja o perdão sempre dado aos que devem milhões aos bancos, entre agroempresários, políticos inclusive daqui do ErreEne, enfim, pagar dívida é coisa aqui para a casta inferior.
 
Sempre foi assim. Mas, houve períodos onde tentamos, por utopia ou processo histórico, minimizar essa situação. 2020 está nos dizendo cada vez mais que as castas continuarão, e parte da elite, aquela mesma que tinha horror em ver gente simples em aeroporto ou um cenário onde domésticas possam viajar para a Disney (não é mesmo, Paulo Guedes?), trabalha para que o fosso social se abra ainda mais. 
 
O Haiti é aqui, cantaram Caetano e Gil em ´Tropicália 2`. A Índia também é aqui. E agora.
 
</body>