Emanuela Sousa

13/09/2020
 
"Você ainda é jovem!"
 
 
Sempre que estou passando por um momento que sinto a necessidade de falar sobre minhas inseguranças e melancolias, alguém ouve e dispara: "Mas você é tão jovem pra pensar assim!",  "você ainda vai viver tanta coisa..." E blá blá blá.
 
Até um tempo atrás eu aceitava esse argumento de forma confortante. Sim, sei que sou jovem... Embora que mesmo ainda não tendo nem trinta anos, algumas coisas mudaram... A visão ficou curta quando penso e analiso a frase "ainda vai viver muita coisa"... Será mesmo? Quem me garante que ainda tenho muito para viver quando estamos tentando passar por um momento tão caótico como este? Hoje simplesmente não consigo fechar os olhos e relaxar em relação a isso. Sei que sou jovem, mas o que o futuro pode me reservar?
 
Essa semana enquanto eu encerrava minha sessão na terapia on line, houve um blackout que tomou conta de toda a Avenida São João, durante toda a noite.O que você faz quando acontece um blackout?
 
Na minha rua algumas pessoas começaram a gritar "Fora Bolsonaro"  de suas janelas e xingando o atual presidente. Foi divertido ouvi-las da janela do prédio e as risadas que seguiam pós os insultos. Eu permaneci em silêncio por alguns instantes. Parei para refletir sobre como têm sido meus dias e  como não sei muito sobre a vida. Tudo o que sei é que ela está passando muito rápido. Os dias estão escorrendo pelos nossos dedos, e cada dia que passa é um dia a menos e mais um passo para eu entrar na vida adulta...
 
Talvez eu já esteja passando pelo "retorno de Saturno"  período que, segundo a astrologia traz questionamentos sobre responsabilidades e escolhas que faremos daí em diante. O curioso é que não tenho feito muitas escolhas a longo prazo. Tenho pensado a curto prazo... E recentemente a única que fiz foi continuar a escrever um novo livro e lança-lo o ano que vem. Com direito a tarde de autografos, abraços e tudo o que tiver direito. O fato de ter publicado meu livro sem poder ter feito uma sessão de autógrafos foi algo que me deixou bastante frustrada. Depois disso eu ainda não sei... Não fiz nenhum plano. E é tão estranho pensar assim.
 
Acho que boa parte das pessoas também não fizeram, o que me conforta. Não é só eu que estou perdida este ano, metade do mundo está, e estão vivendo sem saber como será o amanhã.
 
Acredito que o desejo de muitos está apenas em chegar vivo até o fim de 2020. Sobreviver é o passo principal, o depois ainda é um ensaio.
 
Nunca escrevi tanto como venho escrevendo nesses últimos tempos.  Nunca imaginei que fosse sair tanta coisa de mim, e talvez isso seja bom. Talvez seja o único momento que eu tenho certeza  que não estou jogando minha juventude fora... Pois desde o começo da pandemia venho tendo a terrível sensação que não estou aproveitando a vida e isso me deixa ansiosa, tensa, preocupada...
 
A linha tênue entre ser jovem e aproveitar a vida em tempos como este nunca ficou tão distante como agora.
Como ser jovem e ser menos ansioso? Como aproveitar a vida sem assistir o mundo desabando aos poucos ?
 
Posso fechar os olhos e vivenciar o resto de minha juventude sem precisar ter medo? É o que eu e muitos jovens, adolescentes de todas as idades, classes e gêneros  quer saber.