Bia Crispim

06/11/2020
 
Campo minado
 
 
Gostaria que você, leitor das minhas crônicas, que lê meus manifestos, minhas reflexões aqui no Potiguar Notícias, também conhecesse outras coisas a que dedico meu tempo enquanto pessoa que escreve por paixão. Portanto, hoje, novamente, trago à luz um dos meus textos que estavam esquecidos no meio dos meus arquivos. Ei-lo...
 
*
 
Ali era espaço escuro e brumoso, lugar minado, assustador para se aventurar. 
 
Para os que já conheciam, perigoso; para os que se atreviam a conhecê-lo, mortal. 
 
Um passo em falso e... BUM... Como num jogo de batalha naval, naufragariam.
 
As minas tinham sido deixadas por muitos, em várias épocas. Havia aquelas que machucavam, somente; outras eram capazes de amputações de membros; outras destroçavam um ser por inteiro.
 
Cada passo ali se tornava excitante e misterioso, pois tudo parecia tão doce e feliz. 
 
Tão harmônico e cheio de amor. Mas, que nada!!!
 
Prestassem atenção, veriam destroços, marcas, manchas de sangue e dor. 
 
Espalhados, aqui e ali, restos do que um dia fora amores, do que um dia fora confiança, do que um dia fora entrega e paixão desenfreada.
 
Havia minas escondidas por baixo do que os olhos podiam enxergar, mas não sentir. Havia minas colocadas sobre as já detonadas outrora. 
 
Havia crateras, rachaduras, sulcos, trincos, feridas abertas por todos os lados.
 
E quando alguém se jogava no impulso de invadir esse campo, o descuido, a falta de atenção ou de respeito, a ausência de tato ou sensibilidade, ou mesmo de bom-senso para com aquele lugar sofrido, acionava uma mina. Que acionava mais outra e espalhava fragmentos que detonavam outras mais, num efeito dominó.
 
Quando a poeira baixava... Parecia tudo um paraíso, um lugar fantástico. 
 
Os sonhos bons, o amor que pairava a calmaria e o silêncio que se fazia em seguida era o grande disfarce daquele ambiente de guerra e conflito.
 
Quem, um dia, decifraria o mapa das minas e as desativaria, ou as transformaria em coisas capazes de explodir outros sentimentos, que não mais dor, tristeza e decepção?
 
Saberia alguém, cavalgar por aquelas terras sem deixar marcas profundas de sofrimento?
 
Conseguiriam lidar com aquele ambiente com o cuidado merecido, para assim fertilizar, plantar, cultivar e colher tudo o que de bom ali podia brotar?
Vai saber!!!
 
É campo minado. É coração. Lugar delicado e traiçoeiro que encontra na confiança a trilha certeira para amar sem medo.