Ana Paula Campos

01/02/2021
 
E com vocês, BBB 2021
 
Estrategicamente, a Rede Globo resolveu, nesta mais recente edição do Big Brother Brasil, colocar o maior número de participantes negros desde a sua estreia. Somos mais de 50% da população. Deveríamos ter sido maioria desde o início do programa, mas enfim. Vale lembrar que esse mesmo programa, que hoje abre as portas para nós, exibia esponjas de lavar pratos que faziam alusão a um homem com cabelo Black Power. Aonde estou querendo chegar com isso? Em dois pontos centrais. 
 
O primeiro é voltado para o nosso povo preto. Não pensem que uma maior presença de negres significa representatividade. Isso é o que eles querem que a gente pense. A Globo tem um histórico de exibição de novelas e outros programas racistas. O que nós precisamos de verdade é de uma emissora nossa, dirigida pelas/os nossas/os. Ainda não temos poder de decisão na emissora. Isso sim, seria representatividade.
 
O segundo ponto, eu direciono para vocês, brancos. Teremos nove participantes negres na casa. Se Babu e Thelma já provocaram um burburinho aqui fora porque divergiam quanto a algumas questões, imagine nove pessoas pensantes diferentes. Sim, nós somos um povo diverso. Somos descendentes de povos oriundos de dezenas de países diferentes do continente africano. Essa mania de vocês de homogeneizar as pessoas é cansativa e desumana. Nem tudo se resume ao binarismo de vocês. Lembrem-se: preto não é tudo igual!
 
Além disso, não esqueçam que os nove participantes são SERES HUMANOS e, portanto, passíveis de erros e acertos, atitudes adequadas ou equivocadas. Se bem que, até neste ponto podemos problematizar: mas de quais valores civilizatórios estamos falando? Enfim, não tentem nos desqualificar, diminuindo ou invalidando nossas ações para atender ao ego de vocês. 
 
Por fim, é bem possível que surja alguma polêmica epistêmica na casa, e caso você, branca/o, tenha dúvida, vou dar uma superdica: nós negres não nascemos desconstruídes, não. Lemos muito para elevar o nível do debate. As livrarias nos espaços virtuais estão por aí, leia! Além disso, existe uma ferramenta maravilhosa chamada Google, não sei se você conhece... Então, por favor, não venham fazer de nós a sua Wikipédia pessoal.
 
A propósito, não garanto assistir pela falta de tempo, mas pretendo acompanhar, torcer para que as/os nossas/os fiquem milionários. Afinal, é tudo nosso!