Renisse Ordine

04/02/2021
 
Espelho Diamantino: A primeira revista para as senhoras brasileiras, porém escritas por homens
 
 
Se as mulheres ainda hoje enfrentam dificuldades para se expressarem e respeitadas por suas opiniões, imaginem como era no início do século XIX, em que o universo feminino se limitava ao espaço doméstico. 
 
Pois bem, as revistas surgiram na Europa, séc. XVIII, e foram aos poucos se popularizando até chegarem ao Brasil pelas mãos da Corte Real Portuguesa, tornando-se um dos meios mais acessíveis de comunicação. Com o objetivo de retratar as transformações pelas quais passa a sociedade, adequando as suas publicações de acordo com um específico grupo. 
 
Foram várias publicações, que tinham como preocupação, levar entretenimento ao mais variado tipo de público.  A revista foi se reinventando para atingir o patamar que conhecemos atualmente. 
 
No entanto, nada foi tão significativo para a sociedade brasileira, do que o lançamento da revista “Espelho Diamantino”, um periódico destinado às senhoras da elite brasileira. Uma exclusividade que provocou os moldes de um padrão patriarcal que não via a mulher como um ser social, mas como alguém que deveria se limitar ao lar. 
 
Pensamento que não abrangia somente o território brasileiro,  os países da Europa. Era comum a ideia de que a mulher não poderia se expressar publicamente, tanto que na literatura, escritoras como Jane Austen teve que usar um pseudônimo masculino para poder ser lida e publicada, como também se abdicou do casamento para poder ser livre para escrever. 
 
Mesmo seguindo os moldes europeus, por não abrir espaço às mulheres para ouvir diretamente suas opiniões e manter a tradição de que somente os homens pudessem escrever as matérias, deu um novo significado a imagem das mulheres, destacando e conscientizando a sociedade, de que os tempos estavam surgindo.
 
Há séculos as revistas exercem uma forte representatividade sobre a população por ser um dos meios mais acessíveis de comunicação. 
 
Há séculos as revistas exercem uma forte representatividade sobre a população por representarem as transformações que ocorrem na sociedade, poatravés de capas e por ser um dos meios mais acessíveis de comunicação. 
 
As revistas exercem uma forte representatividade sobre a população, por representarem as transformações que ocorrem na sociedade em suas capas e por trazer reportagens que falam diretamente aos seus leitores.