Théo Alves

28/02/2021
 
Karol Conká, presidente do Brasil
 
 
A participante do Big Brother Brasil 2021 Karol Conká recebeu mais de 285 milhões de votos para deixar a casa em que está confinada com os outros participantes. O percentual de rejeição é recorde para o programa. Dividindo as possibilidades de eliminação do jogo com outros dois participantes, Conká obteve 99,17% dos votos que a tiraram da disputa. 
 
Um percentual desses é algo massacrante e pouco provável em qualquer pesquisa pública no país, com exceção do BBB, afinal nossa população é de pouco mais de 220 milhões de pessoas. Como não sou um especialista no assunto e meu conhecimento sobre o programa não ultrapassa a superficialidade dos comentários lidos no Twitter e uma coisa ou outra no Facebook, resolvi fazer um exercício de elocubrações sobre os possíveis motivos para a brutal rejeição que a cantora sofreu.
 
Tenho quase certeza (embora quase certeza seja o mesmo que nenhuma certeza) de que Karol Conká deve ter desdenhado publicamente a crescente do número de mortos por Covid 19 no país. Deve ter dito alguma frase monstruosa e vil como “E daí, eu não sou coveiro”, o que certamente fez com que nossos compatriotas se revoltassem profundamente contra a moça.
 
Aposto também que no meio desta pandemia que já matou cerca de 250 mil brasileiros, Karol tenha rejeitado a compra de vacinas de diversos laboratórios, além de criar uma cortina de fumaça desastrada e preconceituosa contra a CoronaVac fabricada pela China apenas para alimentar seu ego e não dar o braço a torcer na disputa para ver quem tem o pinto maior com o governador de São Paulo João Dória.
 
Para chegar a mais de 99% de rejeição, tenho absoluta certeza de que Conká agiu de maneira irresponsável com relação à falta de oxigênio em mais um dos colapsos do sistema de saúde em Manaus. Ela deve ter dito algo do tipo “querem que eu faça o quê?”, já que ela julga não ter responsabilidade alguma sobre o assunto, embora ninguém seja mais culpado de tudo isso que ela mesma. 
 
Outra coisa que Karol Conká deve ter feito à exaustão foi tentar aprovar medidas econômicas desavergonhadas que prejudicam profundamente a população, além de ter na conta de seu reinado na casa mais vigiada do Brasil os seguidos aumentos do gás de cozinha, gasolina e diesel. Pagar quase 6 reais por um litro de gasolina e mais de 100 por um botijão de gás me parecem motivos muito justos para essa rejeição do tamanho de um King Kong pendurado nas torres do Planalto Central.
 
A cantora eliminada do BBB também deve ter vários filhos usando de maneira criminosa a influência dela para obter vantagens e proteção da justiça e da polícia federal para os crimes que cometem. Conká certamente deve ter envolvimento em algum esquema de rachadinha durante o tempo em que foi líder no programa. 
 
Sua conduta de miliciana, os contatos com milicianos (incluindo os envolvidos na morte de Marielle Franco), o contato dos filhos políticos dela com Queiroz e os inúmeros depósitos para lavagem de dinheiro em lojas de chocolate também devem ter contribuído para arranhar tçao profundamente sua imagem.
 
As mentiras, as coisas que disse e depois fingiu de forma vergonhosa não ter dito, as falas violentas, o desprezo pela vida, pelo povo, o preconceito contra minorias, contra negros e indígenas, a misoginia e as frequentes ameaças à democracia somados ao constante desrespeito às instituições democráticas realmente justificam todo esse ódio, essa bílis e o desejo de cancelamento (palavra da moda) dessa cantora que caiu em desgraça diante do povo brasileiro.
 
Frente à toda essa barbárie que imagino ter sido provocada por Karol Conká, a esse comportamento inaceitável, esses 99,17% de rejeição até que foram pouco.