Cefas Carvalho

10/03/2021
 
ABC x América com o juiz torcendo para um dos times, que tal?
 
 
Fiz minha caminhada e corrida na praça como é de praxe nessa "vibe fitness" atual, como brincam os filhos e amigos, e passei na lanchonete que abriu na rua que tem guaraná do Amazonas. Enquanto fazia o meu, um sujeito ao lado que esperava um suco me reconheceu dos jogos de futebol exibidos na tv nos bares do bairro e puxou assunto. Perguntou sobre o assunto do dia, a sessão do STF sobre suspeição de Moro nos processos envolvendo Lula. Tentei explicar de maneira didática. O homem ensaiou uns muxoxos de que Lula era ladrão e que a Lava Jato tinha boas intenções, mas como parecia disposto a ouvir lembrei que já tinha visto a figura torcer pelo ABC num bar da vida e exemplifiquei:
 
 - Amigo, imagine uma final entre ABC e América na qual os abecedistas descobrem que o juiz não apenas estava hospedado na concentração do América, como antes da partida estava no vestiário do Mecão trocando informações com os jogadores e o técnico?
 
 - Ah, não seria justo. O juiz tem que ser imparcial.
 
 - Justamente - Concordei, explicando que Moro - o  juiz, supostamente imparcial - mantinha contatos com a promotoria (acusação) inclusive traçando projetos e prazos, e sem qualquer contato com a parte acusada, Lula, e seus advogados, registrando ainda os diálogos mostrados pela Vaza Jato.  - Não estou pedindo que você goste de Lula, mas, não acha que é a mesma situação do ABC no exemplo que eu dei?
 
O sujeito concordou. Saiu com o suco e um pastel com umas pulgas atrás da orelha.
 
É isso. A suspeição em casos jurídicos não envolve ideologia política ou gostarmos ou não das pessoas envolvidas. O juiz não pode ter envolvimento nem com a acusação nem com a defesa, salvo os casos indispensáveis de ritos legais. Ponto. O que vimos, como Gilmar Mendes tanto esbravejou ontem, com as conversas vazadas entre a equipe da Lava Jato e Moro, é indecente em qualquer universo jurídico. Moro não era apenas um juiz, mas, parte da acusação.
 
O que justifica a anulação de qualquer processo e decisão contra qualquer parte prejudicada. No caso, Lula. Poderia ter sido contra Serra, Dória, Agripino, Caiado. Se o juiz participou da acusação, anula-se o processo.
 
E estou me arvorando a análises jurídicas sem ter embasamento para tal. Voltemos ao futebol. Juiz não pode bater papo no vestiário de um dos times antes da partida. Nem trocar mensagens de zap com um dos técnicos. Ponto.