Cefas Carvalho

28/04/2021
 
Dois pesos, duas medidas
 
 
Nesta terça-feira entrevistei na PNTV o empresário Raimundo Filadélfio, que entre outros assuntos, criticou o Governo Federal pela falta de apoios aos micro e pequenos empreendedores. Ele está certo, pois em quase todo o Mundo, os governos tiveram essa preocupação.
 
Contudo, não pude deixar de registrar que ele é uma exceção. Grande parte dos empresários potiguares com quem converso ou entrevisto, isentam o Governo Federal de responsabilidade quanto a este apoio direto.
 
E mais: Cobram esse apoio ao chamado setor produtivo do Governo do Estado. E estranhamente também cobram com menos ímpeto da Prefeitura de Natal.
Governo Federal e Prefeitura natalense com homens (Jair Bolosnaro e Álvaro Dias) no comando. Governo do Estado com uma mulher (Fátima Bezerra, única governadora do país). Não quero crer que isso - machismo velado ou antipetismo - tenha influência na cobrança seletiva.
 
Mas também não posso esquecer que durante os governos Lula e Dilma esses mesmos empresários que hoje, para usar uma expressão jovem, ´passam pano` para o Governo Bolsonaro, atribuíam ao ´governo do PT`qualquer coisa.
 
Corrupção na Petrobrás? Culpa de Lula e Dilma. Crise na safra de grãos? Cadê Lula e Dilma? Índice alto de criminalidade no país? Cadê o PT que não resolve isso? Durante 13 anos, absolutamente qualquer problema registrado num país continental de 200 milhões de almas era responsabilidade de quem estava no Governo, Lula e Dilma.
 
Agora, desde janeiro de 2019, não é mais bem assim. Dólar e Euro sobem de maneira inédita? Culpa da Economia global. Queimadas na Amazônia aumentam? Culpa dos índios, ONGs e Leonardo DiCaprio. Quase 400 mil mortos durante a pandemia? Culpa de todo mundo, menos do Governo Bolsonaro.
 
Mais do que na hora do empresariado que caiu no conto da carochinha que o Bolsonaro era liberal e que Paulo Guedes era um gênio da Economia fazerem uma auto crítica e passarem, não mais pano, mas a mão na consciência.
 
Que se cobre de cada autoridade a sua responsabilidade pelo seu quinhão de incompetência oe desastre político. E que se cobre de maneira igual a cada governante.
Senão são dois pesos e duas medidas, como se diz. Que é o que vem acontecendo.