Emanuela Sousa

23/05/2021
 
Não há nada de errado com você. 
 
 
Eis aqui um dos dilemas do século XXI que mais me causa coléra e irrita, em que o sistema transformou nossa geração sem encanto, arte para seguir em ordem e racionalidade. 
 
Esses dias, enquanto tomava meu café numa padaria ouvi alguém dizer:  "mostrar desinteresse te torna interessante, sabia? " entrei em choque, quase cuspo o café. 
 
Como pode exisitir frase mais contraditória que esta? Ao meu ver, se uma pessoa mostra uma postura fria ou indiferente, claramente ela não está afim, e numa questão de lógica não devo perder meu tempo com ela, você concorda? 
 
Pois bem, nossa geração insinua que demonstrar muito afeto é sinal de coisa "brega",  "gente emocionada" e que está fora de moda. A moda agora é fazer joguinho, sumir,  mostrar desinteresse, ser frio na medida certa. 
 
Eles que me perdoem,  mas sou totalmente contra e faço o oposto sempre. Não vejo outra forma de começar bem o dia bem do que receber aquela mensagem carinhosa às 8h em pleno metrô lotado de São Paulo, chegar de surpresa com seu chocolate favorito e dizer "lembrei de você."  Ou receber uma declaração inesperada às quatro da manhã. 
 
Para receber afeto, a gente precisa antes de mais nada, estar aberto para receber. Por isso, é fundamental estarmos aptos para a troca. 
 
Quero lhe contar outra coisa: outro dia, passando o dedo no feed do Instagram vi um post em que rolava uma discussão sobre a problematização  até que andam fazendo sobre a troca de afetos nas relações casuais, incrédula. 
 
Se eu terei um encontro casual contigo, vou querer pegar na sua mão sim, te fazer um carinho no cabelo, trocar algumas confidências... Tudo bem? Independente que não tenhamos nenhum status de relacionamento no futuro, e ser amável e gentil não significa necessariamente que vamos casar, ter filhos e adotar um gato.  
 
Se for para manter uma certa distância, minimizar a intimidade, pode cancelar o date e o uber, ficarei em casa. 
 
No reino da intimidade não existem regras, nem rótulos de relacionamento. Apenas, acontece. 
 
Se você pensa como eu, e ainda está aberto para trocas de afeto, gosta de escrever textos românticos, mandar flores e expressar seus sentimentos de maneira honesta, esteja seguro que o mundo é feliz em ter você. Peço que, com sinceridade, não deixe de ser quem você é. Há muitas pessoas que estão a procura de alguém como nós. Vivendo noites solitárias, de bar em bar, procurando um alento. 
 
O mundo pede para que subamos muros, mas não obedeço- o. Nos pedem racionalidade, mas ainda prefiro ser coração. 
Não há nada de errado em ser amável, gentil e romântico. Não tenha vergonha de abrir-se, mostrar suas fragilidades, revelar suas cicatrizes. Isto te torna gigante, incrível e único. 
 
Sem mais delonga, quebre o sistema, seja a revolução. 
 
O mundo precisa de gente como nós.