Liliana Borges

26/06/2021
 
TEMPORADA BALNEAR, outro lado do Atlântico…
 
 
No último domingo 20 de junho completei um ano que escrevo como colunista para o Portal Potiguar Notícias e este é o primeiro artigo após o nosso querido Diretor Chefe, Pinto Júnior, ter partido para a eternidade. Tempos muito difíceis para todos, mas temos que ser fortes, ter coragem e segurar na mão de Deus para seguir em frente…
 
Continuando nossas viagens na imaginação…
 
No final da primavera ocorre a abertura da temporada balnear em Portugal, significa que as praias estão estruturadas para ser frequentadas pelos banhistas, a exemplo de marcação com bandeiras coloridas para orientar a população e turistas, se o mar está propício para o banho, como a qualidade da água, as correntezas, o nível de perigo na localidade.
 
Em cada praia estão presentes os salva-vidas ou guarda-vidas com seus diversificados equipamentos, possui passarelas até a beira mar para facilitar o acesso de pessoas idosas e portadoras de deficiências, lixeiras e mais tudo que é necessário para o cidadão poder usufruir destes espaços com segurança e tranquilidade.
Ademais o verão iniciou nesta última segunda-feira, 21 de junho, primeiro sinal de férias e marca a disputa das pessoas pelo um espaço nos areais das belas praias portuguesas, muito embora que nesta época tem mais algumas regras e restrições que devemos cumprir em decorrência da pandemia, como a necessidade do uso de máscaras, manter sempre o distanciamento, entre outras.
 
A outra margem do Atlântico é tão bonita quanto o lado do Brasil, mas um dos fatores que chama a minha atenção em Portugal é a sua estrutura organizacional, a limpeza e a segurança. Um fato curioso é que as praias afastadas do perímetro urbano não é permitido construir a beira mar, somente há concessões para restaurantes e bares por volta de 10 anos, como também, a quantidade é limitado por praia, geralmente 2 estabelecimentos comerciais.
 
O costume dos portugueses é levar para a praia alimentos e bebidas, sombrinhas que por aqui chamam chapéu de sol, e permanecem ao longo de todo o dia até porque o sol se põe por mais das 20:30 horas. A maioria dos sombreiros possuem uma espécie de cortina para nos proteger do vento e da areia, o clima é mais seco favorecendo a temperatura mais agradável em baixo deles, sem a sensação de sauna como acontece por aí. 
 
Na última terça-feira fui visitar a Praia Cabana do Pescador, onde foi uma das primeiras praias que conheci logo que cheguei aqui para residir. Ela está situada na freguesia Costa da Caparica inserida no Concelho de Almada, a cerca de 21 km de Lisboa. Esta região possui inúmeras praias para todos os gostos, como ideais para crianças, jovens em busca de badalações, sufistas que procuram boas ondas, entre muito mais.
 
Inclusive antes da pandemia havia um trenzinho que transportavam os banhistas a longo da Costa da Caparica com paradas em todas as praias. Era um meio de transporte muito interessante e agradável. Atualmente está suspenso em decorrência da diminuição do fluxo dos visitantes, como também, a dificuldade para sua manutenção. 
 
Eu tive oportunidade em 2019 de frequentar com amigos por várias vezes o Bohemian Beach Club. É um agradável restaurante na beira do mar em madeira e palhoça graciosamente decorado, como também, possui uma boa cozinha com deliciosos frutos do mar, e ainda, uma boa estrutura de sombreiros, espreguiçadeiras e tudo necessário para aproveitarmos os dias de verão.
 
Cabe destacar que este empreendimento funciona ao longo de quase todo o ano, mesmo na temporada fria com estrutura adequada para tornar um ambiente sempre agradável, porém, nestes tempos que estamos vivendo há alternância quanto ao seu funcionamento entre aberturas e suspensões conforme o curso da pandemia.
Esta semana retornei para apreciar a bela praia e recarregar minhas energias, lugar que enchem meus olhos…
 
Vale muito conhecer…