Renisse Ordine

15/07/2021
 
Rock na veia, na mente e na vida
 
 
O Rock é a batida do pensar e que literalmente faz com que o coração vá parar na boca! 
 
Foi através do antigo rádio vermelho de pilhas de meu pai, que ouvi os primeiros solos de guitarras do velho e bom Rock´N Roll. Eu era bem criança, mas gostava do que ouvia. 
Minha mãe constantemente usava uma camisa preta estampada com quatro rockeiros com a cara pintada e com suas línguas pra fora, escrito em letras garrafais “KISS”. Nem imaginava de quem se tratava, na minha inocência, achava aquela estampa assustadora. Também não sei se a minha mãe gostava, ela nunca disse nada e eu não perguntava. Essa foi uma das poucas vezes que a minha curiosidade infantil se calou.
 
Isso ocorreu na década de 80. O rock fervilhava nas rádios e nos palcos dos programas de auditório. Cazuza, Legião Urbana, Raul Seixas...
 
Esperei com ansiedade para assistir a abertura do Rock in Rio, com o Queen. Eu tinha apenas 10 anos e já amava profundamente esse estilo musical e a camisa já não me assustava mais.
 
Entristecida, assisti pelos telejornais, o adeus a essas personalidades, alguns pelo vírus do HIV. Um vírus, que muitos conservadores, julgam ser castigo pela indecência do comportamento. Balelas da vida!
 
Enfim, o que era considerado “gritaria” pelos meus avós, foi na minha geração, o som politicamente alto que ouvi.  Letras fortes, que se desprendiam diante da indignação dos fatos ridículos que acontecia no país. Os sons ditos rebeldes eram para botar para quebrar todo o sistema de autoritário, elitista e corrupto. 
Da paixão virou fascínio! 
 
Como cantei com Cazuza e Renato Russo! Músicas que se tornaram clássicos e ridicularmente atuais. Pois, na história brasileira mudam-se somente os personagens, porque o enredo é sempre o mesmo. 
 
Brasil, que faz parte do álbum Ideologia, de Cazuza, é uma denuncia das mazelas políticas do país, em uma época de transição da ditatura para o voto democrático.
 
Brasil
Mostra tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil
Qual é o teu negócio
O nome do teu sócio
Confia em mim
Que País é esse, da Legião Urbana, revela uma situação desagradável que avassala o país desde o seu descobrimento, a corrupção. 
Nas favelas, no Senado
Sujeira pra todo lado
Ninguém respeita a Constituição
Mas todos acreditam no futuro da nação.
 
Muito do que sou intelectualmente agradeço ao Rock e a Literatura, meu pai e minha mãe, que interiormente me formaram. Nunca me deixei levar pelos pejorativos que a ele eram aplicados e que ainda continuam tentando aplicar, em algo que significava mudança. 
 
Tanto que não compreendo como rockeiros das antigas conseguem serem tão atualmente conservadores e negacionistas. Estranho!
 
Bom, mas com a carga cultural, que adquiri através da música, todos 13 de julho, em que se comemora o dia do Rock, me alegra presenciar o renascer de uma nova geração rockeira, isso faz com que a minha esperança em cidadãos conscientizados não se perca. E, nesta lista, incluo os meus filhos, que amam o rock. 
 
 Que continuem seguindo a ordem de Celso Blue Boys, “Aumenta que isso aí é Rock in Roll”!