Liliana Borges

17/07/2021
 
CIDADE DO CONHECIMENTO, Universidade de Coimbra…
 
 
Coimbra é conhecida como a “Cidade do Conhecimento”, pois mais de setecentos anos se dedica a ciência e a educação, considerada um centro de saber por excelência.
 
A Universidade de Coimbra foi fundada em 1290 por D. Dinis como Estudo Geral Português, estabelecida primeiramente em Lisboa e durante vários reinados teve a alternância entre as duas cidades, porém ficando definitivamente em Coimbra por decisão de D. João III em 1537. Atualmente possui cerca de vinte e cinco mil estudantes e mais de cinco mil são de nacionalidades estrangeiras.
 
Destaca-se como uma das mais antigas do mundo ainda em operação, sendo a mais antiga e uma das maiores do país, como também, é a mais sustentável e nesta categoria a vigésima primeira do globo. Para ter uma ideia, por centenas de anos várias edificações fazem parte de seu patrimônio como o Paço Real que foi adquirido em 1597 a Filipe II da Espanha que na época governava Portugal. Em 2013 foi declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO.
 
Cabe destacar que a instituição contribuiu e influenciou para vários acontecimentos históricos, onde foi importante na ciência náutica favorecendo os descobrimentos, entre muitos outros, auxiliou para formação do Brasil e por lá estudou grande parte da elite brasileira desde a época colonial, como também, relacionada com nossa independência, inclusive José Bonifácio foi professor, e até hoje a UC recebe milhares de estudantes brasileiros.  
 
Alguns espaços são abertos ao público para visitação, disponíveis bilhetes no valor de 12 euros e 50 cents para adultos e com descontos para pessoas com mais de 65 anos, estudantes, jovens, crianças de 3 a 13 anos é gratuito. A visita completa inclui a Biblioteca Joanina, Capela de São Miguel, Palácio Real e o Laboratório Chimico que pertence ao Museu da Ciência.
 
A Biblioteca tem esta denominação em homenagem ao Rei D. João V que foi quem autorizou sua construção, mas apenas concluída em 1728 e permaneceu em funcionamento até à primeira metade do século XX, considerada uma das mais ricas da Europa com cerca de sessenta mil volumes referentes aos séculos XVI ao XVIII.
 
No dia que tive oportunidade de visitar a Universidade na Real Capela de São Miguel estava sendo realizado um casamento, então vi rapidamente a distância. Este edifício nos reporta ao século XII, era usado como oratório privativo do antigo Paço Real que seu nome foi em decorrência ao Arcanjo São Miguel considerado protetor de D. Afonso Henrique, primeiro rei de Portugal, e a bela edificação ao lado foi designado Palácio Real, pois foi a primeira residência real portuguesa em 1131.
 
Laboratório Chimico foi idealizado para ensino experimental de química que está situado no antigo prédio que remonta ao século XVIII, onde possui uma exposição permanente “Segredos da Luz e da Matéria” que é uma mostra interdisciplinar de exemplares das várias coleções científicas da Universidade. Foi inaugurado a primeira fase em 2006 e em seguida, em 2008 já foi vencedor do Prémio Micheletti, destacando-se como o melhor e mais inovador museu europeu daquele ano em ciência, técnica e indústria.
 
Fiquei hospedada no Sapientia Boutique Hotel um local gracioso, próximo a Universidade que facilitou conhecer a região a sua volta devido a sua boa localização. Como tudo por aqui termina em história, neste hotel foi descoberto um poço da época do domínio romano na região, o qual está preservado e amostra no interior do recinto.
 
Vale muito conhecer esta Universidade, é um espaço deslumbrante. Lugar para viajar no tempo, onde nossa imaginação flui, simplesmente por lá passaram muitos pensadores, estudiosos, cientistas que frequentaram seus bancos escolares e arquitetaram parte de nossa história…
 
E ademais alguns espaços não é permitido filmar e nem fotografar como o terceiro piso da biblioteca e, assim, é muito interessante conhecer ao vivo e a cores…
Quem me dera ter estudado por lá…