Cefas Carvalho

29/07/2021
 
Vacina com chip: Discurso que celebra a ignorância e que mata
 
 
Li com incredulidade e estupefação a notícia de que o bom ator Juliano Cazarré não tomaria a vacina contra Covid por que "não queria ser chipado", nas palavras dele, se referindo ao boato idiota de que as vacinas inserem um chip chinês no corpo das pessoas. Tendo atuado em filmes de Cláudio Assis ("Febre do rato") e Gabriel Mascaro ("Boi neon") cineastas críticos do país e da realidade, jamais poderia esperar que o cidadão tivesse postura tão ignorante e cretina.
 
Ignorante porque a postura dele ignora os dados científicos que as vacinas oferecem, sim, eficácia contra a manifestação de sintomas fortes de Covid. E também porque é evidente que nenhum chip é inplantado em ninguém através da vacina, trata-se de uma fake news disseminada pelo bolsonarismo e pelo movimento antivax.
 
E cretina porque essa postura mata. Simples assim.  ​Como pacto coletivo que é, a vacinação em massa gera, aí sim, a imunidade coletiva. Quando uma pessoa diz que nãao vai se vacinar ela indica que ignora ou despreza o coletivo e que aceita correr o risco de ser infectado e também de infectar outras pessoas. Uma imbecilidade que mata.
 
Tanto a ignorância como a cretinice foram bancadas e respaldadas pelo desgoverno Bolsonaro e pelo despresidente em pessoa. O bolsonarismo desprezou os efeitos da pandemia desde o início e apostou de maneira suicida na tal "imunidade de rebanho" e na anti-vacinação, seja por razões ideológicas seja por sede de propina, como vimos com a CPI da Covid.​
 
​Nenhum outro governo do país, de Esquerda, Direita, militar, nem presidentes exóticos como Jânio, nem figuras como Collor menosprezaram a vacinação em massa. Todos nós fomos vacinados desde crianças e sempre vacinamos nossos filhos. A partir de 2018 com a ascenção do excrementíssimo ao poder e a valorização do ideário de um imbecil como Olavo de Carvalho, fomos brindados com terraplanismo e o movimento anti-vacinação.
 
Que Cazarré ganhe um tardio juízo e volta atrás em sua desastrada decisão. Nem que seja pela pressão que está tomando. De idiotas o Brasil já está cheio, muitos deles no Governo Federal. Não precisamos de mais por aqui.