Evandro Borges

17/09/2021
 
Emancipação Política de Rio do Fogo/RN
 
 O Município de Rio do Fogo/RN com área territorial de 151,097 km² (0,2861% da superfície estadual), dos quais 0,471 km² em área urbana. Limita-se com Touros ao norte e a oeste, ao sul com Maxaranguape e com Pureza e novamente Touros a oeste, sendo banhado pelo Oceano Atlântico a leste, cuja costa possui 15,05 km de extensão, formada por quatro praias: Rio do Fogo, Zumbi, Barra de Punaú e Pititinga. Toda a costa de Rio do Fogo está inserida na Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais, distando 79 km de Natal/RN.
 
Rio do Fogo/RN está na atualidade com uma população estimada pelo IBGE de 10.961 habitantes. Emancipou-se há vinte e seis anos, no dia 17 de setembro de 1995, um Município com economia centrada principalmente na pesca marinha, de pescados e crustáceos da sua bela Costa, e da agricultura familiar da comunidade de Punaú e adjacências, com suas culturas de jerimum, bananas, fruticulturas e de segurança alimentar, contando também com o turismo e em face dos parrachos com uma distancia de três quilômetros da praia de Rio do Fogo situada na APARC – Área de Preservação Ambiental dos Recifes de Corais instituída pelo Decreto do Governador do Estado do Rio Grande do Norte nº 15.746/2001. 
 
A pesca é generoso com um variado pescado de garoupa, dourado, cavala, bonito, agulha, cioba e serra, além de lagostas, camarões e polvo realizado com novas técnicas de pesca que vem suprindo o mercado gastronômico do turismo da Região Metropolitana de Natal, além da maricultura estando à frente principalmente as mulheres organizadas em Associação contando com forte apoio do setor público e de instituições da sociedade civil. 
 
Diz o escritor e historiador Marcus César Cavalcanti de Morais, na sua obra Terras Potiguares publicada pela Editora Foco que a origem do nome  de Rio do Fogo deve as primeiras famílias sertanejas que aportaram no local e durante a noite na pesca da grande lagoa viam um círculo de fogo, como fenômeno sobrenatural, estes episódios deram causa a denominação de Rio do Fogo, fato corroborado pelo advogado Miguel Dantas no livro Praias Potiguares, embora diga que a cultura popular associe o nome a povo festeiro ou povo fogoso.
 
Na tradicional semana da emancipação, o Prefeito Marcio de Cici com sua equipe está realizando uma extensa programação com atividades esportivas, culturais, cívicas, inaugurações das sedes de Secretarias, como exemplo a Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária em Punaú, lançamento do Mapa Turístico do Município, atendimento a cidadania, principalmente das Secretárias da seguridade social e atos religiosos evangélicos e católicos.
 
O Prefeito Municipal faz uma administração de austeridade, mantendo o pagamento dos servidores públicos municipal pontualmente em dia, inclusive com um pagamento de uma parcela do 13º salário aos servidores públicos efetivos, está realizando obras tais como: a canalização das águas pluviais da Rua Airton Sena, revitalização de canteiros e praças, restauração das escolas municipais permitindo iniciar o ano letivo de 2021 com recursos próprios.
 
A emancipação política do Município é um encontro da cidadania com as suas identidades e raízes, que se deve dar toda atenção com o Poder Público protagonizando atividades as mais diversificadas e multiculturais, mesmo nesta fase difícil da pandemia do coronavírus que enseja restrições e a continuidade de medidas sanitárias dispostas pelos organismos da saúde.