Emanuela Sousa

26/09/2021
 
"Que país é esse?"
 
Amanheci em cólera na manhã dessa última terça feira. Tinha assistido ao discurso de Jair Bolsonaro na Assembléia da ONU. 
 
Logo nos primeiros minutos assisti forçadamente, sabendo que era previsível e não iria sair nada de bom dalí...  Depois de passados dez minutos desisti de vê-lo. Foi pior do que minhas expectativas. Seu discurso está isolado da nossa realidade atual. Por alguns minutos me perguntei de qual país ele estava falando com tanta alto estima. Que país é esse? 
 
"Quero morar nesse Brasil que ele está falando", citou uma amiga minha.
 
O discurso não bate com o que vemos aqui fora. Ao contrário, é uma visão distorcida.  Primeiro que, nos últimos tempos temos assistido e tomado muitos "sustos" e de famílias no supermercado,  se surpreendendo - negativamente com o preço alto e com aumento inflação.
 
Lembrando que, a taxa de desemprego no país ainda é gigantesca... Diariamente, quando passo pela Barão de Itapetininga aqui em São Paulo,  por exemplo, vejo milhares de agências de emprego com filas enormes logo pelas primeiras horas da manhã. 
 
A fome ainda é um assunto que precisa ser pautado com mais frequência. Enquanto os poucos que têm seu salário tomam sustos nos supermercados à fora, outras famílias estão passando seus piores dias: desabrigados, sem sustento e outros, sobrevivendo às custas de um "auxílio" vergonhoso de $150 reais ao mês. Segundo Bolsonaro na ONU, o auxílio é "de 800 dólares."
 
Além de outros absurdos ditos, politicamente incorretos e exagerados 
Bolsonaro escondeu a realidade para elevar nossa imagem aos países à fora.  Megalomaníaco, ele mostrou um Brasil paralelo, onde só é vivido pela burguesia, e chefes de poder. Estes, do qual não se assustam com preços elevados, não são afetos  
pela inflação ou reajustes, e tampouco vêem os mais pobres. 
 
Por aqui tudo está um caos, senhor Presidente. A realidade é dura, apesar e estarmos perto do fim de uma  pandemia (que assim seja). Lhe convido à visitar as famílias que ficam abrigadas embaixo do viaduto do Minhocão e tantas outras que foram esquecidas e excluídas. 
 
Um Brasil que não se encaixa no seu discurso, que não faz reflexo, mas que EXISTE e está sofrendo, todos os dias, as consequências do seu governo.
 
Sim, estou um pouco pessimista em relação a tudo, mas ainda quero acreditar que uma hora tudo isso vai passar. Dias melhores virão... para nós, brasileiros.