Liliana Borges

09/10/2021
 
VIAJAR, Pouco Dinheiro a Muita Diversão…
 
 
Quem é que não tem uma viagem dos sonhos guardada no fundo do baú de seus desejos?
 
Vontade de conhecer algum lugar e viajar pelo mundo afora, na maioria das vezes deixamos para depois por diversos motivos: tempo, trabalho, dinheiro, filhos, seleção de prioridades…
 
Para alguns a viagem dos sonhos é conhecer um lugar especial, hospedar-se em um hotel cinco estrelas, viajar na primeira classe, ir a algum restaurante com um chefe de cozinha renomado com “Estrela Michelin”...
 
Entretanto a maioria dos mortais viajar é ter a perspectiva de conhecer apenas um lugar que se divirta e caiba no seu bolso, seja ele onde for, pois sonhar e fazer acontecer são possibilidades possíveis com pouco dinheiro. Há inúmeras alternativas que podemos escolher e organizar uma viagem mais barata.
 
Primeiramente poderemos comprar passagens aéreas por milhas, ou seja, acumular pontos no cartão de crédito, onde poderemos pagar tudo que for possível com ele, assim, escolheremos a companhia de aviação para transformar em um agradável bilhete de viagem.
 
Quanto à hospedagem, há diversas opções de estadia bem mais em conta como o “Alojamento Local - AL”. Estes são casas, apartamentos, estabelecimento de hospedagem (hostel) e quartos em residências. A exemplo se alugarmos um apartamento por um mês sairá bem mais barato que se hospedarmos em um hotel pelo mesmo período, e ainda, poderemos dividir o espaço e o valor com amigos e familiares e, principalmente, é uma experiência ímpar viver o cotidiano da região. 
 
Cabe ressaltar que cada unidade deste tipo de hospedaria é submetida aos critérios estabelecidos pela legislação para o registro como AL e, ainda, poderemos verificar sua pontuação quanto à satisfação das pessoas que utilizaram seus serviços nos sites específicos como “Booking.com”, “Trivago”, “Airbnb”, “Tripadvisor”, entre muitos outros…
 
Uma dica interessante para fazer um roteiro é escolher poucas localidades e permanecer mais tempo, pois assim poderemos curtir mais o local e conhecer melhor. Muitas vezes ficamos ansiosos para visitar muitas cidades e organizamos um itinerário que uma verdadeira maratona, e daí apenas visitamos onde tiramos muitas fotografias, mas não conhecemos na sua essência. Ademais devemos levar em conta a distância de cada local selecionado, pois poderemos perder nosso precioso tempo em aeroportos e estações em geral. 
 
Alimentação é um item relevante e vale observar alguns critérios. Curiosamente aqui na Europa as pessoas curtem fazer refeições nos parques, a beira dos rios, praças e não são nominados com a forma pejorativa de “farofeiros”.  Há inúmeros mercadinhos e frutarias por todos os lados e a maioria vende refeições práticas e prontas como saladas completas, inclusos até os talheres descartáveis.
 
Pois bem, aqui é completamente natural, além de ser uma maravilhosa aventura. É uma forma diferente de curtir o momento e com certeza será uma boa experiência. Que tal almoçar uma deliciosa saladinha complementada com um bom vinho que é bem barato por aqui e, melhores companhias ao ar livre harmonicamente com a natureza?
A escolha dos restaurantes é sempre bom priorizar os que oferecem comidas regionais para ter o prazer de conhecer a culinária local, uma boa é apreciar a especialidade da casa, pois normalmente será o que tem de melhor no estabelecimento, como também, o “Menu do Dia” que comumente tem um preço justo e é composto por entrada, prato principal, sobremesa e muitos até a bebida e o cafezinho.
 
Entretanto, se escolhermos fazer apenas uma das refeições mais reforçada é bem interessante ser mais no final do dia, nominada popularmente “almojanta”, significa que é o almoço e jantar ao mesmo tempo, pois durante o dia começaremos pelo café da manhã mais consistente, e ao longo do passeio faremos lanchinhos e ao final saborearemos uma bela e completa refeição que vem a calhar que já estaremos exaustos e somente após nos resta seguir para nosso descanso…
 
Quanto ao meio de transporte é possível também diminuir as despesas da excursão com metrôs, ônibus, bondes e barcos. O turista poderá adquirir um bilhete com validade por 24 ou 72 horas que custa em torno de 6 e 13 euros, respectivamente, mais 0,50 centavos do cartão, sendo possível entrar e sair do veículo na estação que quiser durante o período, como também, escolher qualquer meio de transporte público pelo preço único.
 
Nos grandes centros há mais uma maravilha, os “Tuktuks” que nos transportam a cantos e recantos deslumbrantes com o condutor e guia ao mesmo tempo contando a história da localidade. Eles comportam geralmente 6 passageiros com o valor médio total por passeio de 70 euros. É uma forma graciosa e interessante de conhecer o lugar e além do mais é um bálsamo para nossos pés e pernas cansadas…
 
Todavia existem patinetes (trotinetes) elétricos para alugar e percorrer as ruas de forma divertida que é necessário baixar um aplicativo no celular (telemóvel) a exemplo de “Bolt: Viagens e Trotinetes” e fazer um cadastro incluindo a forma de pagamento, como também, em muitos lugares dispõem de bicicletas para o mesmo fim e alguns sítios são gratuitas.
 
Não poderia deixar de mencionar as jardineiras que são ónibus turísticos abertos e disponibilizam áudios individualizados onde descreve cada local, possibilitando o passageiro descer nas paradas estabelecidas e posteriormente seguir em outro com o mesmo bilhete. O valor por pessoa é em torno de 26 euros (24h) e 30 euros (48h).
 
E os museus, bom lembrar que é uma bela porção da história contada de forma agradável ao vivo e a cores, onde faremos uma curiosa viagem no tempo e retornaremos ao nosso mundo na mesma velocidade, pois disponibilizam alternativas guiadas por valores acessíveis.
 
 Há sempre meios para organizamos boas viagens que cabem na nossa carteira. Simplesmente basta ter vontade e agir. Serão maravilhosas recordações que levaremos por toda a vida. É simplesmente espetacular…
 
Viajem sempre que possível, façam acontecer…