Liliana Borges

14/01/2022

 

CARNIDE, Largo da Luz…

O Largo da Luz está situado em Carnide, freguesia pertencente ao Município de Lisboa. O largo é um pequeno parque composto por belos jardins e adorável área de convívio contendo espaço para merendas e jogos, muitos bancos, graciosos caminhos e pontes, além de algumas nas árvores para as crianças se aventurarem nas alturas.

No domingo passado tive a oportunidade de conhecer este lugar motivado por reencontrar uma querida amiga de infância em que seu namorado fez a cortesia de proporcionar nosso almoço no “Restaurante Jardim da Luz”, juntos passamos uma tarde agradabilíssima com mais o privilégio de caminhar pelas ruas nas imediações narrando a história da localidade atenciosamente.

O Restaurante é um lugar bastante acolhedor, representando a boa culinária portuguesa, mediterrânea e europeia. Segundo o “Tripadvisor” sua avaliação são 4 pontos de 5 máximo referente a 276 opiniões. Entradas, prato principal às sobremesas, tudo estava deliciosoooo. 

A região tem registro ao longo da história desde o neolítico, na altura do século I surgiram organizações territoriais que começaram com explorações agrícolas em forma de vilas em pequenas propriedades com estrutura adequada à atividade a cada época.

A localidade viveu vários períodos de desenvolvimento com o crescimento da população e sua economia, como no século IV com a construção de uma nova igreja, convento e o Hospital da Luz que atualmente é o Colégio Militar, posteriormente, nos séculos VII a XII no período da dominação muçulmana a região era considerada o celeiro de Lisboa, pois abastecia a cidade.

No século XIX foram contruídas fábricas nos arredores contribuindo para fixação de operários na região, entretanto foi uma área que sempre atraiu a nobreza, aristocracia e classes menos favorecidas. Atualmente é uma das maiores freguesias do Concelho de Lisboa em extensão e população, onde se misturam harmonicamente o novo e antigo.

O Seminário dos Franciscanos completa a beleza do largo, o edifício era antiga casa de uma rica família burguesa, a qual foi adquirida pelos Franciscanos em 1939 e adaptada para fins religiosos conservando seus atributos. O palacete foi construído em 1878 com uma fachada neoclássica e estilo romântico daquele período.

Tudo por aqui nos favorece a uma viagem no tempo e caminhando nas imediações nos deportamos para o século XIX apreciando o Santuário de Nossa Senhora da Luz. O santuário foi mandado construir pela infanta Dona Maria no século XVI, porém com o terremoto de 1755 foi praticamente destruído e o restante em 1833, somente em 1870 foi edificada a Igreja que lá está. 

Cabe ressaltar que a primitiva capela construída pela população em 1463 não restou mais nada, mas há testemunhos arqueológicos localizados no corpo da Igreja Sul um pouco abaixo no nível da rua que pode ser apreciado do exterior do prédio.

Seguimos até o Largo do Coreto que é mais um espaço gracioso na região. Neste local na altura de realização de obras de requalificação paisagística e nas ruas adjacentes foram encontradas preciosidades arqueológicas e daí deu início em 2012 aos estudos. Descobertos 120 silos, os quais eram utlizados para armazenamento de cerais, um poço de pedra, um troço de alicerce entre outras relíquias. Achados que nos reportam aos séculos XV ao XVIII.

Domingo ensolarado, alguns instantes o sol escondido entre as nuvens no inverno europeu, boas companhias, belos cenários, momentos felizes que levamos para a toda vida…

Passear por Lisboa é sempre surpreendente, muitas descobertas…

Tarde muito bem passada…