Emanuela Sousa

18/02/2022
 
Quem foi que disse que só vivemos de amor?
 
Não faz muito tempo. Revisitando algumas postagens minhas no Instagram, achei uma mensagem que eu havia repostado tempos atrás, em que se dizia a seguinte frase: Não sei quem disse que mulheres vivem só em busca do amor.
 
Minutos mais tarde fiquei pensando no quanto essa frase, com esse conteúdo tão ultrapassado, confronta a realidade. Quem foi que disse que nós mulheres, em pleno século XXI está pensando somente em amor? 
 
A realidade atual nunca esteve tão oposta. 
Em 2019, mais de 6,6 milhões de mulheres com registro em carteira deixaram o trabalho. 
Em 2020, durante a pandemia, o número triplicou: 96% foram demitidas, muitas delas chefes de família. As mais afetadas junto à jovens e negros.
 
Os números não são apenas negativos. Em contra partida, em 2021, o IBGE disse que mulheres têm mais acesso ao ensino superior. Numa estatística de gêneros, mulheres estão mais encaminhadas, do que homens, ao ensino superior. 
 
O esteriótipo tão antiquado que mulheres vivem buscando um parceiro para sentirem-se completas, não existe mais em nossa sociedade. Já foi-se o tempo em que mulher ficava em casa e não cobrava seus direitos. O movimento feminista está aí para contestar. 
 
O romantismo ainda palpita em nossos corações. Acreditem. E antes do romantismo, estamos buscando por segurança em tempos de incertezas. Estudar e trabalhar  hoje são prioridades para uma mulher, 
em meio às tantas responsabilidades que ela carrega nos ombros. 
 
Amor é uma escolha, 
Direitos são necessidade.
 
Aprendam.