Cefas Carvalho

26/05/2022

 

Vacina contra a desinformação

 

Em bate papo recente em Natal com o poeta, escritor, ator e cirurgião dentista, Mailson Furtado, que tornou-se conhecido ao vencer o 60º Prêmio Jabuti, em 2018, nas categorias Livro do Ano e Poesia com o livro “à cidade”, ele disse: “é urgente formar​ leitores com percepção crítica do mundo, e no final das contas um mundo melhor. ​ Seria ​uma vacina para esse grande mal que a gente não consegue combater de uma forma pontual​,​ que é a desinformação”

 

Essa desinformação é atualmente um câncer para o Brasil. Uma população desinformada ou , pior, mal informada, fica vulnerável a tudo. A fake news, por exemplo. E passa a ser capaz de tudo. A eleger para a presidência como se fosse “novo na política” um deputado medíocre que ficou 20 anos da Câmara Federal sem fazer nada.

 

A desinformação atualmente é um projeto da extrema-direita, como de certa forma sempre foi um projeto para as elites brasileiras, das mais cruéis do mundo.

 

Cabe aos movimentos progressistas não apenas tirar o projeto fascista do poder mas começar uma política de tirar a população média dessa desinformação em que ela foi colocada. Cabe à grande mídia também investir em informação com seriedade e um mínimo de imparcialidade.

 

Como disse Mailson, precisamos de uma vacina para isso. Por ora, um protótipo dessa vacina é o voto.