Artista potiguar durante a pandemia e isolamento: Rita Cruz

29/07/2020

Por: CEFAS CARVALHO
Foto: Arquivo pessoal
Dando continuidade à série do Portal PN sobre como o artistas potiguares estão produzindo e divulgando seus tranalhos durante este péríodo, entrevistei Rita Cruz (Catita), pedagoga, especialista em Educação Infantil, graduanda em letras, escritora infantil, poeta, cordelista e contadora de histórias.Ela falou sobre livro novo, redes sociais e muito mais.
 
Você está conseguindo produzir poesia, ter criatividade durante este período de isolamento?
 
Nesse período de isolamento, minha poesia fluí de forma intensa, pois é ela que me sustenta e me dá forças para enfrentar os dias turbulentos de solidão. A poesia se faz amiga e irmã. Sou Cearense residindo em Natal há 31 anos. Sou Potiguar de alma e coração. Amo Natal e suas praias. Neste período sinto falta das minhas viagens todas as tarde  à beira mar, onde muitas vezes fiz versos de amor mesclado com lagrimas e águas do mar, diluídos em lágrimas ardentes de emoção. Nessa quarentena escrevi meu primeiro livro intitulado “Verdades Ocultas” pela editora B3S. Onde relato entre o lirismo e a dor fragmentos de minha personalidade poética. Escrevi para a as Antologias da Casa da Poesia.  E vários cordéis, entre eles as fadinhas Deby e loyde do Nordeste. A inspiração acompanha-me desde criança, venho de uma família de poetas, onde aprendi muito cedo o valor de um dicionário. Escrevo quando estou triste e escrevo quando estou feliz, escrevo para dizer estou viva e tenho fé.  
 
Como está a divulgação do seu trabalho neste período?
 
Meu trabalho é divulgado nas redes sócias, facebook,  instagran. Tenho uma página no face ”Catita a menina que conta histórias”, voltado para o público infantil, onde posto uma vez por semana  meus vídeos de  contações de histórias. Divulgando livros de amigos escritores e também histórias de minha autoria, poesias e contos. Além disso, os vídeos que produzo são encaminhados pelo watszap para as escolas e professoras e assim as crianças de divertem de uma forma prazerosa e lúdica.
 
Confinadas, as pessoas estão consumindo mais poesia e literatura potiguar?
 
Sim, as pessoas dentro de casa tem acesso a leitura com mais frequência e também pelas redes sociais elas participam de lives que divertem e trazem paz. Muitas são importantíssimas como as lives da UBE( União dos Poetas Brasileiros do RN), da SPVA e também de professores e médicos. Divirto-me com lives de humoristas e também de outros artistas que não convêm citar para não deixar nenhum de fora.
 
Qual a sua opinião sobre as lives e como vê o contexto delas neste período?
 
Mas agora nesse exato momento sinto que muitas lives estão repetitivas, com os mesmos  autores e poetas.  As pessoas estão querendo fazer lives com poetas e artistas mais conhecidos do RN, deixando aqueles que estão começando e precisam dessa divulgação nesse período.
 
Qual a sua visão sobre os artistas potiguares neste período de isolamento?
 
Os artistas estão dando o máximo de si. Produzindo e se fortalecendo. Ajudando uns aos outros. Assim que posso curto e compartilho e também divulgo os trabalhos de artistas Potiguares como escritores infantis com minhas Contações de histórias, também não podemos deixar de fora os artistas circenses que nesse período de quarentenas são menos favorecidos. O importante é ajudar e ser compressivo com todos. Se você não pode comprar um livro, divulgue o trabalho, indique a alguém.