Ana Paula Campos: “Consciência negra é um trabalho de consciência humana”

20/11/2020


 

 

Ana Paula Campos: “Consciência negra é um trabalho de consciência humana”

 

No programa  desta sexta-feira,20, o jornalista Pinto Júnior entrevista a escritora e  feminista negra, Ana Paula Campos e debate sobre o dia da Consciência Negra e os desafios de combater o racismo no Brasil e no mundo.

 

O Dia Nacional da Consciência Negra não é uma data de comemoração, mas de reflexão.De acordo com a Escritora, Feminista Negra e Militante do Movimento Negro, o debate contra o racismo não é apenas em novembro, é uma pauta do ano inteiro porque a violência contra o corpo preto não pode ser invisibilizada nos outros dias do ano.

" 56% da população é preta, somos um grupo que foi marginalizado, empurrado para periferia, por isso também, é necessário que nossas lutas e pautas sejam parte do interesse político, de políticas públicas que pensem a vida dessa população" argumenta.

 

Para Ana Paula, após mais 130 da abolição  de escravidão, por meio da Lei Áurea, que ratificou a extinção do trabalho escravo dos negros em nosso país, as opressões a população preta ainda permanecem em nossa sociedade e inclusive com a negação  do  racismo por parte dos líderes do país.

"Racismo é  uma estrutura de poder, um sistema de opressão, um plano imposto pela elite branca desse país para  silenciar corpos negros, indígenas e ligbt" Lembra.

 

A escritora lembra que durante toda trajetória das pessoas negras no Brasil algumas leis foram segregacionistas  como a lei de terras, proibição de pessoas negras em escola, em trabalho, além de trata-los como vadios após a abolição e presos por isso, entre outros.

“São varias opressões que se cruzam neste contexto. O trabalho de consciência negra é um trabalho de consciência humana” lembra.

 

A entrevista completa você acompanha no link abaixo

https://www.youtube.com/watch?v=dp6eNUDOj2M&feature=youtu.be