Joe Biden toma posse como presidente dos EUA e pede que país supere divisões

20/01/2021


Foto: Reuters
 
O democrata Joe Biden assumiu nesta quarta-feira (20/01) a presidência dos Estados Unidos. Ele foi empossado como 46º presidente americano numa cerimônia realizada em frente ao Capitólio, em Washington.
 
Kamala Harris também foi oficializada como a 49º vice-presidente do país, a primeira mulher e a primeira pessoa de ascendência negra e indiana no cargo.
 
O democrata prestou o juramento de posse perante o presidente da Suprema Corte dos EUA, John Roberts, colocando a mão em um enorme exemplar da Bíblia que está na família Biden há mais de um século.
 
"Aprendemos novamente que a democracia é preciosa, que a democracia é frágil, e esta é a hora em que a democracia prevaleceu", disse Biden em seu discurso. Ele relembrou a violenta invasão do Capitólio há duas semanas por uma turba de partidários do seu antecessor, Donald Trump. "Hoje celebramos a vitória não de um candidato, mas de uma causa: a democracia."
 
Ao longo de seu discurso, Biden reforçou pedidos para que os americanos deixem as divisões de lado, após uma eleição dramática e caos político estimulado por seu antecessor.  "Falar sobre união parece bobagem. Mas sem unidade não há paz, apenas amargura e fúria", disse. "Política não tem que ser incêndio que destrói tudo a sua frente, tanta discórdia não precisa levar a guerras. Precisamos rejeitar a cultura onde fatos são manipulados e inventados. Caros americanos, temos de ser diferentes. Os EUA têm de ser melhor do que isso. E creio que EUA são muito melhor do que isso."
 
"Precisamos de união para lutar contra os inimigos que enfrentamos. Raiva, ressentimento e ódio, extremismo, ilegalidade, violência, doença, desemprego e desesperança. Com unidade podemos fazer grandes coisas, coisas importantes", acrescentou.
 
Biden também fez uma alusão mentiras disseminadas nos últimos meses para minar a confiança no processo eleitoral americano, que provocaram uma das piores crises políticas no país em décadas. "Nas últimas semanas e meses, aprendemos uma lição dolorosa. Existe a verdade e existem as mentiras. Mentiras contadas em busca do poder e lucro. E cada um de nós tem o dever e a responsabilidade de defender a verdade e derrotar o mentiras."
 
Entre os presentes na cerimônia estavam os ex-presidentes democratas Barack Obama e Bill Clinton e o republicano George W. Bush. Lady Gaga cantou o hino do país durante o evento. 
 
A cerimônia de posse teve público limitado, tanto por causa das restrições da pandemia quanto pela forte presença militar para garantir a segurança, diante do temor que apoiadores de Trump inconformados com a vitória democrata cometessem ato de violência ou atentados terroristas. Ao todo, 25 mil soldados da Guarda Nacional foram deslocados para Washington, uma quantidade nunca vista numa transição de governo nos EUA.
 
Como parte dos eventos da posse, Biden compareceu a uma missa Catedral de São Mateus Apóstolo, na capital. Ele esteve acompanhado da sua esposa Jill Biden, além da vice-presidente Kamala Harris. Biden é o segundo católico na história dos EUA a assumir a Presidência.
 
Em vez de uma multidão de apoiadores, o parque National Mall, que ladeia os prédios do governo federal, foi coberto por quase 200 mil bandeiras e 56 pilares de luz destinados a representar pessoas dos estados e territórios dos EUA.

Fonte: DW Brasil