"Só voltaremos às aulas quando a vacina chegar para todos", diz diretor do IFRN

22/01/2021

Por: Redação PN

 

 

         Nesta sexta-feira (22), no jornal Potiguar Notícias - Primeira Edição, o jornalista Cefas Carvalho entrevistou Paulo Vitor, diretor do IFRN (Instituto Federal Do Rio Grande do Norte), do campus de Parnamirim. O gestor falou sobre os diferenciais da instituição, além dos desafios pedagógicos para o ano de 2021, principalmente em relação à modalidade de ensino que vai ser aplicada.

         Segundo o diretor, a adaptação dos professores à mudança para o ensino remoto foi o primeiro obstáculo a ser superado, tendo em vista que se trata de um sistema ainda desconhecido por parte da comunidade escolar. Além disso, a compra de aparatos tecnológicos para os alunos mais carentes também foi uma medida contemplada pela instituição.

         No que se refere às novas modalidades de ensino, o diretor ressalta: "é preciso destacar, a princípio, alguns pontos positivos que foram suscitados neste momento de aulas remotas, principalmene pela integração dos pais dos alunos do IFRN, que, por morarem em regiões mais distantes, não compareciam às nossas reuniões. Para isso acontecer, tivemos que adequar a nossa infraestrutura e recebemos auxílios de pacotes de internet, a fim de estabelecer uma relação digital eficiente com os nossos alunos, A expectativa inicial, na verdade, era que as aulas presenciais retornassem neste ano, mas só poderemos voltar com as aulas quando a vacinação for disseminada para todos". 

         Em relação aos cursos e diferenciais apresentados pelo IFRN de Parnamirim, Paulo Vitor salienta: "existem alguns cursos padrões que também podem ser encontrados em outras unidades, como informática e tecnologias para internet. No entanto, nós temos um curso que é único em todo o estado, que é o de mecatrônica. ramo multidisciplinar da engenharia voltado ao projeto de sistemas eletromecânicos automatizados, conrolados por computador. Nesse ramo, nós somos, inclusive, uma referência em todo Nordeste, com ações nacionais e internacionais dos nossos alunos", finaliza.