Governo do RN suspende retorno das aulas presenciais na rede estadual

31/01/2021


Foto: Assecom/Governo do RN
 
O Governo do Rio Grande do Norte decidiu suspender o retorno às aulas presenciais na rede estadual de ensino. A medida estava marcada para esta segunda-feira, 1º de fevereiro. As aulas ainda serão retomadas na mesma data, mas somente no formato remoto.
 
Em nota, o Poder Executivo disse que "segue entendimento de outros estados do país, que optaram por retomar às atividades escolares ainda de forma remota até que as condições sanitárias em face da pandemia do coronavírus estejam integralmente satisfatórias".
 
O governo estadual adiante que também na segunda-feira haverá uma reunião com o Ministério Público para discutir uma retomada presencial e avaliar as adequações que foram realizadas pelas escolas. O Estado não divulgou uma nova previsão de data para a volta das atividades presenciais.
 
As atividades na rede estadual estão suspensas desde março, devido à pandemia da covid-19. Algumas unidades de ensino não apresentavam condições sanitárias necessárias contra o novo coronavírus.
 
SINDICATO
 
Para o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (SINTE/RN), a suspensão das aulas presenciais é uma vitória dos/as trabalhadores/as em educação e do Sindicato. Considerando o cenário epidemiológico do RN, ainda em dezembro a categoria se opôs às aulas presenciais e deliberou que as aulas nessa modalidade só deveriam ser retomadas no Estado após a imunização dos profissionais da Educação.
 
Mais recentemente, em 26 de janeiro, o Sindicato voltou a reafirmar sua posição em reunião com o Secretário de Educação, Getúlio Marques. E logo em seguida, no dia 28 de janeiro, em audiência com a Governadora Fátima Bezerra, os coordenadores gerais do SINTE mais uma vez apresentaram o posicionamento da categoria e argumentaram a favor do retorno das aulas somente em formato remoto.
 
Ao que tudo indica, os argumentos do Sindicato contra o início das aulas presenciais na Rede Estadual de Ensino e a favor das aulas remotas como única opção segura para proteger professores, funcionários, alunos e seus familiares da pandemia da Covid-19, foram acolhidos pela Governadora.