"É um país muito rico em água, mas é mal distribuída", afirmou Rivaldo Fernandes

22/03/2021

Por: Jessyanne Bezerra

 

O Dia Mundial da Água é comemorado em 22 de março e apresenta como objetivo colocar em discussão assuntos importantes relacionados com esse recurso natural. Combater a poluição e os desmatamentos, que têm forte impacto nos recursos hídricos, é um consenso entre especialistas, que chamam a atenção para o fato de que uma população saudável também precisa ter acesso ao saneamento básico.

“Não temos muito o que comemorar nesse dia, pois os principais rios do mundo estão cheios de lixos” declarou o presidente do PV/RN.

De acordo com dados da Agência Nacional de Águas (ANA), 38,6% dos esgotos produzidos no Brasil não eram tratados, em 2017, e, muito menos, coletados. Os que eram recolhidos e eram jogados nos recursos hídricos sem tratamento: cerca de 18,8%. O restante era coletado e tratado antes de serem rejeitados aos mananciais, cerca de 42,6%. “Aqui, o Rio Doce na Zona Norte e os rios que abastecem a Lagoa de Extremoz e a do Bonfim estão cheios de lixo. A nossa gestão de água é precária” afirmou Rivaldo Fernandes.

A água limpa e potável é um direito humano garantido por lei desde 2010, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).

A nova lei do saneamento, sancionada em julho de 2020, visa abrir o setor para a iniciativa privada. Cerca de 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água potável e o marco regulatório do saneamento básico, se entrar em vigor, poderá reverter esse número. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro vetou o período de transição de 30 anos dos contratos com empresas estaduais de saneamento, que eram fechados sem processo de licitação. O marco diz que as empresas devem atualizar os contratos em vigor até 31 de março de 2022 para assegurar as metas de universalização.

“Temos que economizar água, porque caso contrário vai faltar. O Brasil desperdiça água, porque é um país muito rico em água, mas é mal distribuída” declarou Rivaldo Fernandes

Para saber mais, veja a entrevista na íntegra: https://youtu.be/gkldBt9yMIM