´Álvaro não é salvador da pátria, mas o causador da piora da situação de Natal`

23/03/2021

Por: CEFAS CARVALHO
 
 
Na defesa intransigente do vermífugo Ivermectina como remédio para prevenção do Covid-19, o que não tem qualquer comprovação científica, inclusive sendo negado pelo fabricante, o prefeito de Natal Álvaro Dias foi algo de diversas reportagens na imprensa nacional (como no Estadão e UOL, entre outros) criticando a postura do prefeito, que inclui ainda o desejo de manter comércio e lazer funcionamento mesmo com os leitos UTIs para Covid com quase 100% de ocupação.
 
Álvaro começou a receber também críticas de médicos de todo o Brasil e de do Rio Grande do Norte.  Entre os maiores críticos do prefeito está o médico infectologista Alexandre Motta, que conversou com a reportagem do PN nesta manhã de terça-feira, 23 de março, e criticou duramente as posturas do gestor da capital potiguar.
 
"É importante tentar identificar o que significa o chamado kit covid ou os tratamentos atuais. A ideia do tratamento precoce é o ´negacionismo de sapatênis´ na qual mantém o discurso do ano passado de que o vírus primeiro não chegaria no Brasil, depois que o clima tropical minimizaria a força dele, depois que a doença era apenas uma gripezinha, ou que haveria em toda a pandemia apenas 800 pessoas, mortas", registrou.  
 
"Sobre a Ivermactina, aqui em Natal, os colegas médicos, muitos deles respeitáveis tecnicamente falando, alguns meus professores, todos votaram em Bolsonaro, e eles mantém o discurso bolsonarista. Alguns deles são realmente convencidos que funciona, mas, se funcionasse, por que estamos nessa situação? Existe algum defensor da Ivermectina trabalhando nas UTI Covid?", questiona.
 
Alexandre continua: "A Ivermectina se tornou carro chefe para políticos negacionistas que a usam para razões políticas, exemplo do prefeito de Natal que há muito tempo deixou de ser médico, não tem postura de prefeito e implantou uma metodologia para ganhar a Prefeitura e mira eleição de 2022. Hoje ele cria empecilhos jurídicos para ações de restrição que visam diminuir os contágios e insiste na Ivermectina. Natal tem mais casos do que no restante no Estado, deveria consultar um epidemiologista. Álvaro não é salvador da pátria e sim o causador da piora da situação de Natal