“Fátima vai processar filho de Bolsonaro por crime de calúnia “, diz Pedro Lopes

12/04/2021

Por: Jessyanne Bezerra

 

Em entrevista ao jornalista Pinto Júnior, no programa Jornal Potiguar Notícias 2° Edição, o diretor da CONTROL (Controladoria Geral do Estado do Rio Grande do Norte), Dr. Pedro Lopes esclareceu sobre as acusações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro e sobre a situação tributária do RN.

Após entrevista cedida no final de semana, o presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido) declarou desvios na utilização, pelo executivo estadual, dos recursos que foram enviados para combater a pandemia de Covid-19 e que, segundo ele, teriam sido usados para pagamento de servidores públicos.

Sobre isso, o diretor da Controladoria Geral do Estado do Rio Grande do Norte, Pedro Lopes esclareceu: “Ele coloca uma calúnia escancarada diante do governo do estado. Primeiramente, o presidente deveria conhecer as leis que ele promulga. Então, no ano passado foi aprovada a lei complementar 173 e nessa lei foi feita destinação de verbas e algum desses recursos vieram carimbados: para saúde, cultura e assistência social. Dessa verba carimbada que o estado do Rio Grande do Norte recebeu R$ 350 milhões e sendo desse valor, foi destinado R$ 308 milhões para a saúde, 32 milhões para a cultura e 10 milhões para a assistência social”.

Dr. Pedro Lopes finalizou ressaltando: “Ele mostrou na sua fala que ele não conhece a lei que ele aprova, ele falou bobagem, falou sem conhecer a lei e ele assinou a lei. E logo em seguida, vem o filho dele fazer uma afirmação forte e criminosa que o governo desviou recurso. Então ele cometeu um crime pois o governo fez a aplicação dos recursos com base na orientação legal”.

Em relação as questões da recuperação fiscal do estado do Rio Grande do Norte, um dos maiores feitos do governo Fátima Bezerra, o diretor da CONTROL declarou, “se não tivesse pandemia, o RN tem uma previsão de arrecadação igual ao valor que veio. Nós perdemos de repasse do FPE ano passado, quase R$ 200 milhões e nossa arrecadação nominal de ICMS foi só 1%, quando a previsão natural seria de 7%. Então se não houvesse a pandemia o RN teria arrecadado R$ 1 bilhão a mais, dentro da normalidade. Além de arrecadar mais, teríamos uma despesa menos, pois em virtude da pandemia tivemos um gasto extraordinário na saúde de R$ 300 milhões, fora mais R$ 30 milhões na cultura e mais R$ 10 milhões na assistência social”.

Relatório do TCE

O Boletim Extraordinário 01/2021 elaborado por auditores de controle externo da Diretoria de Administração Direta do TCE, apresenta dados consolidados sobre as transferências feitas para o Estado em 2020 para enfrentamento da Covid-19. Além disso, o boletim apresenta o panorama das despesas realizadas pelo Governo do Estado nas mesmas áreas.  “O relatório do TCE mostra que o governo não cometeu nenhum desvio. Então a indústria da Fake News, para abafar o trabalho que está sendo feito pelo governo do estado, pega o relatório do TCE e destorce, ao ponto do filho do presidente fazer uma postagem criminosa, de calúnia, e vai ser processado pelo governo do estado”, afirmou Pedro Lopes, diretor da CONTROL.

O diretor da CONTROL ressaltou também que todo o resultado do Super Refis foi utilizado para pagar os salários atrasados do governo Robinson, no total foram R$ 90 milhões destinados para o pagamento, o que totalizou em mais de 50% dos servidores sendo quitados.

Para saber mais assista a entrevista completa :https://youtu.be/RSUsLbeMb4o