"Eu não tenho esperança de fazer parte do executivo", diz Geraldo Veríssimo

04/05/2021

Por: Redação PN

 

 

         Nesta quarta-feira, às 6h 30, no programa Conexão Potiguar, pela Band Natal em parceria com a TV digital Potiguar Notícias, o jornalista Pinto Junior recebeu Geraldo Veríssimo, vereador em São Gonçalo do Amarante, que falou sobre a situação atual da saúde do município, além de fazer uma avaliação do atual estágio de desenvolvimento social e econômico de São Gonçalo.

         Segundo o vereador, o trabalho do município no que concerne ao combate à pandemia do novo coronavírus tem sido satisfatório, uma vez que a prefeitura, juntamente com a Câmara, aprovam as matérias referentes a essa finalidade com muita celeridade. De acordo com suas informações, São Gonçalo também dispõe de leitos suficientes no Hospital Belarmina Monte, além de ter um hospital de campanha, assistido por meio de uma parceria entre o governo do estado e o executivo municipal, o qual atende com prontidão os pacientes infectados pelo vírus.

         Em relação às suas pretensões políticas, o parlamentar ressalta: "eu já fui mais sonhador. Eu estou pelo quinto mandato na Câmara Municipal, ou seja, desde 2004; e a oportunidade que eu tive de migrar para o executivo foi em 2016, mas o grupo político ao qual pertencia entendeu que, talvez, eu não estivesse preparado para me tornar prefeito do município. Inclusive, posteriormente eu saí desse grupo, a fim de estabelecer campanhas independentes para a casa legislativa, que é onde, sem dúvida, eu me sinto mais à vontade. Na verdade, hoje eu não tenho muita esperança de fazer parte do executivo".

         No que se refere ao crescimento de São Gonçalo do Amarante, sobretudo a partir da construção do aeroporto e de outras obras estruturantes como rodovias, Geraldo Veríssimo estabelece um contraponto entre o que era essa realidade em seu primeiro mandato e a atualidade: "quando eu me elegi a primeira vez em 2004, a fotografia da cidade era totalmente diferente dessa que temos hoje. No entanto, a partir de 2008, sob a gestão de Jaime Calado, o município deu um 'pulo' no que tange à qualidade de vida. Inclusive, naquele momento, anterior á administração dele, Sâo Gonçalo ainda tinha mais de 3000 mil casas de taipa; e depois, aproveitando do desenvolvimento econômico estabelecido pelo governo Lula, Jaime Calado trocou todas elas por residências de alvenaria. Em outras palavras, nós vemos atualmente uma Sâo Gonçalo muito mais desenvolvida", finaliza.

 

Para assistir à entrevista, acesse o link: https://youtu.be/PYxBNY3aJQE