Geraldo Ferreira, presidente do Sinmed/RN: "Coopmed não negociou com médicos"

05/05/2021

Por: Jessyanne Bezerra

 

O cenário da Covid-19 no Rio Grande do Norte, em Maio, caminha para uma nova etapa. Com 226 mil casos confirmados e 5.547 mortes, o estado potiguar apresenta 81% dos leitos de rede pública ocupados. Sobre a situação, Dr. Geraldo Ferreira afirmou: “Precisamos dividir em duas partes: a atuação do estado e a dos municípios. A montagem desses centros de covid foram importantes, isso acabou com aquela tragédia de dizer que o paciente ficasse em casa e só fosse ao hospital em caso de agravamento e de falta de ar”.

O presidente do Sinmed/RN aponta uma “falha significativa” no combate ao coronavírus: a demora da abertura dos leitos. Sem os leitos de UTI, filas foram geradas e pessoas morreram sem atendimento médico. “Muitas vezes foram notificados e anunciados que esses leitos estavam abertos quando na verdade estavam em processo de abertura”, declarou Dr. Geraldo Ferreira.

Nos últimos dias, os Centros da Covid – localizados no Ginásio Nélio Dias e no Palácio dos Esportes – ficaram sem atendimento médico. O principal motivo pela falta de atendimento é a determinação judicial da redução da remuneração da hora trabalhada.

Segundo G1 RN, desde julho de 2020, os médicos recebiam o equivalente a R$ 250 por hora trabalhada, o que representava R$ 1 mil por turno de quatro horas. Porém, segundo o município, o valor era muito maior que pago, por exemplo, a um médico que atua na sala vermelha de uma Unidade de Pronto-Atendimento, que é de maior urgência. O novo valor acordado foi de R$ 133,33 por hora de trabalho.

O Sinmed/RN recorreu a decisão judicial, o presidente, Dr. Geraldo Ferreira declarou “São profissionais que estão submetidos a uma alta carga de risco. Unilateralmente, a prefeitura de Natal negociou com a Coopmed, que não negociou com os médicos, uma mudança no contrato. Então, é um novo contrato com 50% do valor que era pago”, e acrescentou “Eles recorreram ao sindicato e nossa função é protege-los. Portanto, entramos com uma nova ação judicial”.  

Para saber mais acesse o link: https://youtu.be/k2JlWz2eHSw