Perfil da Profa. Dra. Andrezza Tavares: biografia de curta duração

10/06/2021

Por: Dra. Ilane Ferreira Cavalcante (IFRN)
Foto: Dra. Andrezza Tavares (PPGEP/IFRN)

 

 

Perfil da Professora Dra. Andrezza Tavares: jornada dos cursos de licenciaturas para o PPGEP/IFRN na busca pelo lugar feliz no cosmo

Perfil jornalístico sobre a Professora Andrezza Tavares, Doutora em Ciências da Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e docente no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), em Natal/RN. Esta produção de jornalismo literário compreende uma atividade de autoria coletiva realizada por Ilane Ferreira Cavalcante, Luciana da Silva Monteiro e Marcos Aurelio Ribeiro Dantas, pesquisadores vinculados ao Programa de Pós-Graduação Acadêmica em Educação Profissional (PPGEP) do IFRN.  O perfil da professora Andrezza Tavares realça a sua história e a atuação no IFRN até o momento atual, destacando as atividades desenvolvidas como professora pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional (PPGEP).

A profa. Dra. Andrezza Tavares concluiu Licenciatura em Pedagogia, Mestrado e Doutorado em Ciências da Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde também desenvolve formação acadêmica no Curso de Bacharelado em Jornalismo (UFRN). Possui habilitação para atuar no campo da Psicopedagogia Institucional e Clínica. Atua profissionalmente com imersão na tríade ensino-pesquisa-extensão por meio do trabalho docente que desenvolve na oferta de Educação Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). A professora Andrezza Tavares iniciou a sua jornada como docente do ensino superior a partir da aprovação em concurso público efetivo para lecionar o componenete curricular Didática na Universidade do Estado do RN (UERN) onde atuou como professora pesquisadora no período de 2004 até 2009, quando pediu exoneração em função de outra aprovação em concurso, dessa vez, para a docência na Rede Federal, na ocasião dos concursos para atender ao programa de expansão do IFRN. A partir de sua admissão em 2009, inicia seu vínculo institucional com o IFRN, e nele, participa como Docente das licenciaturas, Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação Acadêmica em Educação Profissional (PPGEP) e também do Mestrado Profissional em Ensino de Física (MNPEF).

No âmbito dos Projetos de Ensino no IFRN, além da docência nos cursos de licenciatura e na pós-graduação stricto sensu, atuou como Coordenadora Institucional do Programa PIBID/IFRN, experiência em que acompanhou a práxis docente de centenas de licenciandos, orientou pesquisa-formação e realizou pesquisas sobre Formação inicial e continuada de Professores, apoiada pela agência de fomento CAPES, no período de 2009 até 2018. Depois, ainda com o apoio da CAPES, passou a exercer a Gestão Institucional do Programa Residência Pedagógica PRP/IFRN, oportunidade que possibilita a continuidade da produção de conhecimento sobre o ethos da formação e do trabalho docente, com duração até o presente momento.

No concernente à Prática da Pesquisa, é membro de dois Grupos de Pesquisa devidamente credenciados ao CNPQ, a saber: 1) "Escola Contemporânea e Olhar Sociológico (ECOS), na UFRN”; e 2) “Observatório da Diversidade (ObDiversidade), no IFRN. Nas duas bases de investigações, frequenta linhas de pesquisas relacionadas com a temática da “formação de professores e práxis em educação profissional”. Os trabalhos de pesquisa mais recentes são dezenas de publicações em periódicos bem qualificados pela CAPES, organizações e publicações de capítulo de livros, participações e publicações em eventos internacionais, publicação em portal de jornalismo, orientações de pesquisas em nível de monografia, mestrado e de doutorado. A publicação atual que julga como mais relevante é a publicação de livro autoral intitulado “Paulo Freire & Educação: notas sobre ideias, contextos e atividades libertadoras”. A obra foi publicada em novembro de 2020, pela editora Brazil Publishing, de circulação internacional, e cumpre o objetivo de se unir aos milhares de eventos destinados à celebração do centenário da memória do patrono da educação brasileira: Paulo Freire. 

No concernente à Prática de Extensão, Coordena em fluxo contínuo, o Projeto de extensão “Capital Cultural e Práxis do IFRN”, desde 2016. O projeto consiste em uma experiência híbrida de Educação com Jornalismo ao promover proveitosos diálogos sobre os conceitos do Campo da Educação, inclusive da educação profissional, com a sociedade ampliada, local e internacional, por meio dos veículos de comunicação social de larga difusão: Jornal eletrônico Potiguar Notícias, TV digital PNTV, da rádio 91,9 FM de Natal e da TV Band Natal.

A professora se descreve como alguém “perdidamente apaixonada pelos trabalhos acadêmicos que realiza a partir do amálgama das práxis de ensino-pesquisa-extensão. Essa desafiante experiência impulsiona os resultados colhidos na práxis da profissão docente por estimular a permanência do estado criativo e por promover o alargamento dos relacionamentos humanos no percurso profissional”. A professora integra o corpo docente dos professores permanentes do PPGEP, participando do grupo de pesquisadores responsáveis pela criação do Programa desde 2011. Ainda sobre tal participação, revela que se engaja com a “produção de conhecimento a partir de relação próxima com os seguintes objetos de estudo: Formação de Professores, Educação Profissional, Educação Superior, Processos cognitivos, Teorias da Aprendizagem, Educação Escolar e Não-Escolar (destacadamente sobre espaços de educação social e midiáticos)”.

O seu trabalho no PPGEP prioriza a produção de conhecimento para o campo epistêmico da educação profissional, destacadamente, no que concerne à colaboração sobre a formação de professores e a compreensão dos processos cognitivos nos seres humanos. Nessa direção, desenvolve pesquisas de abordagem qualitativa em ciências humanas e sociais a partir dos seguintes tipos de investigação: estudo de caso, etnografia crítica em educação, narrativa autobiográfica, sociobiografia, pesquisa formação, representação social e pesquisa sócio-histórica.

A professora entende o PPGEP como “uma oportunidade extraordinária para possibilitar a verticalização dos estudos para os estudantes do Instituto Federal, no sentido de saírem da educação superior em sua etapa de graduação ou especialização e desejarem um acesso à pós-graduação stricto sensu nas modalidades de mestrado, doutorado e de pós-doutorado. Nesse sentido, ela afirma, “que enxerga o PPGEP como espaço extremamente fértil e necessário para contagiar os estudantes da instituição, principalmente aqueles de origem social popular, quanto ao gosto pela continuidade dos estudos”.

Ela avalia o PPGEP “como um Programa de Pós-graduação acadêmica que cumpre a importante função de conscientizar os estudantes e os professores da Rede Federal sobre as especificidades e as ricas possibilidades de sua cultura institucional a partir da educação profissional no Brasil”. Em suas palavras, o PPGEP é “um precioso lócus no IFRN pois retroalimenta as profissionalidades, o profissionalismo e a identidade institucional de estudantes, professores e pesquisadores imersos no campo epistêmico da educação profissional”.

A professora faz questão de realçar “que tem a certeza de que encontrou o seu lugar feliz no cosmo sempre que presencia o fenômeno da afirmação do campo epistêmico da educação profissional a partir da conclusão dos itinerários das pesquisas dos integrantes do PPGEP”. Para ela, “a conclusão de cada ciclo de investigação no Programa, a partir das defesas e das publicações de dissertações, de teses e de artigo científicos, floresce o sentimento de função social cumprida pois cada pesquisa consolidada significa devolver para a sociedade brasileira potentes reflexividades, performances, produtos ou práxis que certamente colaborarão com as dinâmicas da educação profissional humanizadora, holística, transformadora, emancipadora e feliz ”.

 

Fonte: Dra. Andrezza Tavares (PPGEP/IFRN)