Nova Diretoria do ADURN-Sindicato toma posse no próximo dia 17

10/06/2021


Foto: Osvaldo Negrão, presidente que tomará posse.
 
Encerrando um ciclo que teve início em 2008 - com o processo de transformação da então Seção Sindical em Sindicato - e que culminou, nos últimos anos, com o fortalecimento da representação política da entidade, no próximo dia 17 de junho toma posse a nova Diretoria do ADURN-Sindicato, para o triênio 2021-2024. A cerimônia acontece de forma remota, a partir das 18h, através da plataforma Zoom, com transmissão Ao Vivo no canal do YouTube e redes sociais da entidade.
 
Para o atual presidente do ADURN-Sindicato, Wellington Duarte, o evento marca a conclusão de uma transição geracional no Sindicato. “Creio que nossa tarefa foi cumprida, nos cabendo agora dar todo apoio à gestão do novo presidente, o ajudando a manter aquilo que foi construído até agora, melhorando o que já está sendo feito e criando novas e modernas formas de fazer o Sindicato mais presente na vida dos professores e na defesa da instituição", disse o dirigente.
 
A nova direção é composta por 11 nomes e tem como presidente e vice-presidenta, respectivamente, o professor do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Oswaldo Negrão, e a professora do Núcleo de Educação da Infância (NEI/CAp-UFRN), Isaura Brandão. O docente, que assume a presidência da entidade em um dos momentos mais  trágicos para o planeta e, sobretudo, para o Brasil, fala sobre os desafios que estão postos: “vivemos várias crises ao mesmo tempo, principalmente pela pandemia global, mas também pela conjuntura política, social e econômica que atingem, todas ao mesmo tempo, a nação brasileira”. 
 
Oswaldo destaca a brutalidade com que a situação atual “escancara as desigualdades sociais e submete as populações mais empobrecidas ao desafio da sobrevivência diária, sem apoio governamental, sem vacina para todos de forma equitativa, sem projetos para a contenção da pandemia, sem comida no prato”.
 
Ele lembra que, assim como todas as instituições que lutam por um país justo e inclusivo, a universidade também é alvo daqueles que não acreditam na Ciência como possibilidade da construção de um futuro mais digno para a nossa geração e para aquelas que nos sucederão. Para Negrão, o caminho é “a defesa intransigente da Constituição Federal e dos direitos das pessoas à vida, ao trabalho digno, ao alimento, à moradia e ao conhecimento. Esses são elementos básicos e fundamentais de luta em defesa da nossa universidade pública, gratuita, de qualidade, inclusiva e socialmente referenciada”, disse. 
 
O futuro presidente do ADURN-Sindicato enfatizou que os desafios estão postos mas a vontade de lutar é ainda maior. “Seguimos na luta em defesa da democracia, do SUS e da educação para todos”, concluiu.
 
Por se tratar de uma Assembleia Geral Ordinária, que necessita de quórum, todos os docentes sindicalizados que irão participar do evento devem acessar a plataforma Zoom, através do link disponibilizado no edital de convocação publicado no dia 05 de junho